sexta-feira, 28 de junho de 2013

1 mês - Life is for living we all know and I don't wanna live it alone.

Boa Noite!
Hoje estou escrevendo aqui pois sou ansiosa demais!
Estou louca pra que chegue sexta que vem, pra eu poder fazer meu post de fim de semestre...
Mas é que hoje bateu uma tristezinha, e deu vontade de desabafar.

Para não perder o costume, vamos a música que inspirou este post.
Selecionei essa música pois ela foi a que eu mais ouvi, mas estou há alguns dias ao som de Coldplay, e assistindo bastante ao show que eles fizeram no Rio ano passado. Aí vai a letra...

"Now I never meant to do you wrong... That's what I came here to say.
But if I was wrong then I'm sorry, I don't let it stand in our way.

'Cause my head just aches when I think of the things that I shouldn't have done.
But, life is for living we all know and I don't wanna live it alone.

'Cause in the end there's only us, all my friends there's only love"

Além dela, tenho ouvido bastante 'fix you', também do Coldplay.

Bom, nesta ultima semana aconteceram muuuuitas coisas. Se é que é possível ocorreram mais discussões, mais brigas, mais confusões. Mas essas turbulências acabaram me distraindo da dor do amor. E acho que hoje foi a primeira vez em 15 dias que eu voltei a chorar...
Não digo isso com sofrimento. É que eu estava em provas, e final do semestre requer muito de mim... Sem contar que precisava terminar minha pesquisa, e também alguns problemas financeiros... enfim, eu meio que dei um 'pause' em tudo o que tava acontecendo em relação aos meus sentimentos, e me concentrei em outras coisas.
Mas hoje as provas acabaram - pelo menos as oficiais - e eu fiquei 'sem nada pra fazer', e já dizia vovó, mente vazia dá nisso.
Daí fiquei ouvindo música o dia todo, tentando fugir do que estava prestes a transbordar. E as horas foram passando, eu saí na chuva, fui longe pra caramba comprar um crepe, na expectativa de fazer-me esquecer. Voltei pra casa, liguei pra todo mundo que eu poderia ligar... mas parece que quando você mais precisa ninguém atende o telefone.
Enfim, não aguentei. Senti saudades, senti dor... por mais que hoje já faça um mês que tudo começou a mudar, aquela solidão veio novamente. Apesar de tudo que aconteceu nessas duas semanas, me sobrou espaço pra sentir falta dele, sobrou um espaço pra lembrar de como eu ria quando a gente tava junto. Hoje eu pensei, faz um mês que eu não sei o que é sorrir com felicidade... faz um mês que eu não sei o que é sorrir.
As vezes eu lembro da forma com que a gente ficava junto, da forma com que a gente brincava, da forma com que a gente se entendia, desde os olhares, até os gestos.
Lembro de como eu o achava bonito, de como eu gostava de abraça-lo, e como eu gostava quando ele me abraçava... parece que faz tanto tanto tempo que eu não sinto isso.
Estou carente... e com medo. Medo do que eu vou ter que enfrentar daqui pra frente.
Medo da minha insegurança comigo mesma, não sei se sou capaz de me aproximar de outra pessoa.
Hoje, durante a minha longa caminhada até o lugar que vende crepe fiquei olhando os homens que tem na faculdade. Pessoas que sempre foram invisíveis aos meus olhos... e eu reparei de como nunca nem sequer olhei pro lado durante esses três anos e meio. Vi homens bonitos, homens que eu considero atraentes... Mas sabe, eu me pergunto porque nenhum deles me interessa. Eu me pergunto quando vou dar abertura à uma conversa com outro homem, quando os unicos que eu conheci nos ultimos anos foram amigos da faculdade e amigos dele. Fico olhando as idades dos rapazes... Eu não aprendi a gostar de homens mais velhos... acho que 30 anos é tanto pra mim... mas o que eu vou fazer? Fico pensando de como seria chato namorar um cara mais velho, principalmente eu que sempre fui muito infantil para a minha idade... sempre gostei de caras bobos. 
Fico pensando na pessoa que eu posso encontrar... e como eu queria encontrar alguém pra tirar essa solidão de dentro de mim. No dia que eu encontrar alguém quero alguém bem diferente de mim... 
Não sei se ainda se ainda consigo trocar olhares, eu sempre vou achar que não sou boa suficiente pra ninguém, porque foi assim que eu me senti durante todos esses anos.
Quando eu era adolescente eu era tão corajosa, se estivesse a fim de alguém eu sempre ia atrás. E hoje não sei nem se sou capaz de me aproximar de outra pessoa...
Sei que não tenho mais ninguém. Agora eu estou completamente sozinha. Mas ainda não sei por onde começar.
Não queria mais sair 'a caça' como dizem por aí. Mas também não quero ficar sozinha o resto da vida.
"Life is for living, we all know, and I don't wanna live it alone"...

Não vejo a hora de voltar pra academia. Preciso recuperar - renovar - meu corpo, preciso cuidar de mim. E ainda assim não sei se um dia me sentirei segura, pra me tornar atraente para alguém.
Eu preciso me readaptar a essa vida de solteira, que eu tanto NÃO quis pra mim... E sei que isso vai demorar, não vai ser em um mês que isso vai acontecer.... Quem sabe em dezembro eu esteja preparada pra deixar alguém se aproximar de mim. Até lá eu vou me acostumando com o silêncio...

Hoje a saudade ta forte... saudade da vida que eu tinha antes... muita saudade.
Vou tentar dormir um pouco. Nada como um dia após o outro... E assim eu vou me acostumando com essa nova Aline, essa Aline que eu achei que nunca precisaria ser...

Boa Noite!


quarta-feira, 19 de junho de 2013

24 dias...

[Inicio este post com uma música indicada, e extremamente cabível a situação! Além de eu amar Lulú, claro!
Crédito à Zenilde ;)]

Ainda vai levar um tempo
Pra fechar
O que feriu por dentro
Natural que seja assim
Tanto pra você
Quanto pra mim...
Ainda leva uma cara
Pra gente poder dar risada
Assim caminha a humanidade
[...]
Não vou dizer que foi ruim
Também não foi tão bom assim
NÃO IMAGINE QUE TE QUERO MAL,
APENAS NÃO TE QUERO MAIS...


Olá pessoal!
Depois da enorme surpresa de ter conseguido recuperar meus posts excluídos, via google cachê (Santo Google cachê) estou aqui de volta pra falar de mim.
Pra quem não leu os posts antigos... bom, há exatamente 24 dias eu tive uma enorme - e péssima - surpresa... meu ex namorado terminou comigo. Terminou um relacionamento de 3 anos e meio, e uma história de muito mais que isso. Ele nunca deu sinais que queria terminar, estávamos bem até o feriado anterior, e de repente, tudo se foi. Se foi com a desculpa que o amor tinha acabado, que cansou das cobranças de um relacionamento fixo, que queria viver PELE - afinal, moramos há 450km um do outro, que não aguentava namorar o telefone.
Claro que eu me desesperei, me revoltei, fiz loucuras e mais loucuras. É muito difícil você ter todos os seus planos jogados pela janela e manter a calma; e considerando que eu nunca fui uma pessoa muito controlada... já viu né?
Maaaas, desde que terminamos eu sabia que não era só por 'acabar o amor'. Meu coração dizia que não. E acho que esse foi o principal motivo do meu desespero. Apesar de ser 'mal tratada' por ele, eu sentia que não era só isso, e também sabia que ele JAMAIS iria me contar a verdade.
Sexta houve uma festa na minha cidade, e viram ele beijando outra garota. Garota que era amiga de faculdade dele, amiga que foi a única que eu nunca impliquei. Amiga que eu liguei para programar a festa surpresa de aniversário dele em janeiro.
Eu sabia que a verdade iria aparecer, mais cedo ou mais tarde, mas não sabia como iria me comportar diante dessa informação. O que eu senti? ...NADA! Quando me chamaram no chat, à 00h40 do sábado eu já sabia o que era. Foi libertador! Foi uma confirmação da minha intuição... Esperei até ele chegar em casa, liguei pra ele, e o que eu vi foi um homem embriagado, e negando até a morte o que tinha feito.
Enfim, sábado já foi mais difícil... ficar a noite sozinha, remoendo tudo o que tinha acontecido e agora com  esse 'plus' não foi fácil. A feridinha cicatrizada abriu novamente. Chorei um pouco... mas nada como tinha acontecido antes. Estava muito mais equilibrada.
Domingo chegou e conversamos novamente, e enfim ele assumiu o tão falado beijo. E disse que foi DE BRINCADEIRA! Pasmem!

Resumindo, isso foi tudo que aconteceu desde o último post.

Hoje?
Hoje eu estou bem.
Tenho pensado menos nele... bem menos. Os primeiros e últimos pensamentos do dia ainda são nele, mas durante o dia já consigo me concentrar em coisas que não sejam: "O que ele está fazendo?", "Com quem ele está?", "Será que ele está pensando em mim?", "Será que ele está com outra?", "O que será que ele sente por mim?", etc.

Nestes últimos 24 dias eu ja senti TANTA coisa. Sofri - e ainda estou sofrendo, mas observei o que são os sentimentos a flor da pele. Senti uma tristeza muito profunda, senti decepção, senti raiva, mas também senti esperança, senti euforia, e acreditem, senti alegria!
Hoje eu penso como eu não aprendi a controlar os meus sentimentos. Na verdade, eu tenho me considerado altamente descontrolada... Indisciplinada talvez. Disciplina nunca foi meu forte...  mas acho que passei dos limites nos últimos dias. Falei mais do que deveria, para pessoas que talvez não merecessem, ou até merecessem, mas eu não poderia ter feito justiça com as minhas mãos.

Hoje eu estava pensando que preciso apertar minhas próprias rédeas. Não é de hoje que eu interpreto mal o que as pessoas me falam, não é de hoje que eu gosto de enxergar além das palavras. E as vezes eu acabo me comprometendo e me magoando muito por isso.
Hoje, eu preciso diferenciar um 'me desculpa se te magoei', de um 'eu ainda gosto e me importo com você', ou diferenciar um 'tenho que admitir que sinto sua falta' de um 'tenho saudades de você'. Tenho que aprender que nem todo mundo é impulsivo como eu, por que quando eu tenho vontade, EU LIGO, quando eu tenho saudade, EU DIGO, e quando eu quero que o outro saiba o que eu sinto... eu falo.
Muita gente diz que eu não devo fazer isso, que devo ficar na minha...
Mas qual o pecado em dizer que eu gosto de alguém? Em dizer que, apesar de tudo, meu coração ainda bate por aquela pessoa? Que apesar de tudo, eu gostaria de voltar no tempo pra ser feliz com essa pessoa novamente? Isso é ser sincero com os próprios sentimentos... Pra gente superar um sentimento, superar um acontecimento, temos que admitir que ele existe.
Sinceramente não acredito que controlando meus sentimentos, de modo nem falar o que sinto, me fará melhor. Mesmo o amor, vai embora com o tempo. Controlar demais o que sinto, me causa mais sofrimento... e não farei isso por hora.

Além de tudo isso...
Estou contando as horas para as férias. E pensar nas férias, me faz ficar bem.
Estou construindo novos planos! Nada a longo prazo como eu tinha antigamente, mas planos deliciosos...

Termino este post por aqui, meio pela metade, mas continuo com as novidades que virão...
que são inúmeras! ;)

Beijos, e até mais!


terça-feira, 11 de junho de 2013

É que não faz sentido caminhar sem dar a mão pra você


"Se eu to contigo não ligo se o sol não aparecer
É que não faz sentido caminhar sem dar a mão pra você"


Há quase 20 dias eu me tornei um turbilhão de emoções.
Todos os meus sonhos viraram pó... assim, como magia de pirimpimpim!
Eu, que flutuava tão tão alto, eu que vivia nas nuvens, fui jogada ao chão sem nem sequer um pára-quedas.

Há 20 dias estou triste. Uma tristeza que não lembro de ter sentido antes na minha vida
Uma tristeza profunda, que dói na pele! De verdade... não sei que alguém ja sentiu isso antes.
É uma dor forte, da vontade de gritar.
Acho que por isso que falam que a gente ama com o coração, porque é uma dor que dá no peito, um aperto, uma angústia.

As vezes eu fico bem, as vezes a minha tristeza é substituida por raiva. E pior que seja, quando eu estou com raiva eu não sinto dor.
Eu estou tentando ser forte, estou tentando fugir.
Sei que tem um monte de gente que já passou pelas mesmas coisas que eu to passando - ou até pior, e não ficaram como eu estou.

Eu tinha um companheiro... e eu perdi. Perdi meu melhor amigo, perdi um namorado, perdi a pessoa que mais me fazia rir. A parte física de verdade não conta muito, até pq a gente só se via uma vez por mês.
Esse companheiro me trouxe momentos incríveis. Ele me fez a mulher mais feliz do mundo, ele me fez a mulher mais amada do mundo.
Eu não teria como descrever todas as nossas aventuras. Foram tantas.
Lembro do começo, quando a gente se encontrava em alguns lugares.
Lembro da primeira tarde que a gente passou sozinho... foi tudo tão estranho, um apreensão, um medo, mas um desejo, uma vontade. Era tão olhos nos olhos, e não precisavam palavras...
Lembro das nossas incríveis festas. Lembro dos últimos 3 reveillons, que passamos juntos, com tantas promessas de vida nova. Lembro do último, a gente pulou ondinhas juntos... e sinceramente, não acho que pedi pra ser feliz com ele... eu sempre pedi pra que ele fosse feliz, porque isso era a minha felicidade.

O que eu sinto agora é uma dor. E essa dor vem, inesperadamente.
Hoje eu estava na faculdade, e no meio da prova veio essa dor... eu senti uma vontade tão grande de chorar.
E não é porque eu sou fraca.
Eu só amei.
Amei de verdade. Amei da maneira mais profunda e mais verdadeira que alguém pode amar.

Eu fiz 2 posts antes deste, mas o meu (ex)companheiro veio aqui e apagou.
Me feriu muito. Como se ja não bastasse tudo que está acontecendo... enfim.

Eu sinto muito a falta dele. Sinto falta do grande companheiro que ele foi pra mim.
E além de tudo eu vejo a situação que estou...
Quando eu penso que terei que conhecer novas pessoas, pra tentar encontrar um 'novo' amor, eu sinto TÉDIO! Que raiva ter que passar por isso novamente. Odeio pensar em conhecer alguém, em criar expectativas, em trocar telefones, em dividir a minha história, em conhecer a família, em aprender a lidar, TUDO DE NOVO!
Há algo que eu sei desde que eu sou adolescente. O amor da minha vida eu já encontrei, eu sei disso há quase 10 anos. Não imagino eu amando alguém novamente. Não imagino abrir meu coração pra outra pessoa. Não imagino me entregar pra outra pessoa...
Eu quero ficar sozinha, até sabe lá Deus quando.

Não cabe aqui perguntar o que eu fiz, o que ele fez, ou se há culpados...
Mas sei que ele está bem. Talvez eu nunca tenha sido companheira dele como ele foi pra mim.
Eu jamais conseguiria abandoná-lo como ele fez comigo.

Eu to sofrendo muito ainda.
To escrevendo aqui porque não aguentava mais essa dor no meu peito.

Hoje se eu pudesse gostaria de encontra-lo, olhar em seus olhos, e dizer pra ele o quando o amo, o quanto ele é importante pra mim, e que a falta que ele faz em minha vida é tão grande, que eu nem imagino como vou ocupar esse enorme buraco.

Ele gostou da vida que eu apresentei a ele, e o amor foi tão livre que ele voou.

Esse é mais um dia de dor. Mais um dia que aquela fortaleza caiu. Mais um dia que eu estou MORRENDO....
Algumas vezes eu queria morrer mesmo, pra ver se essa dor passa.

E eu nunca imaginei que perderia o meu grande amor.

Tudo de novo, tudo do zero, mais uma vez.

...
Essa é a foto que se encontra no meu mural... parece que há alguns dias atrás a frase que está nela fazia um sentido completamente diferente....
Saudade de ser feliz com você! 

sábado, 8 de junho de 2013

2 semanas completas!

Eu disse que voltava pra continuar aquele ultimo, e triste, post.

Hoje eu to melhor, pelo menos por enquanto.
Hoje parece que o lado positivo da coisa da começando a aparecer.

Não me julguem estúpida, sou eclética pra músicas... Reconheço artistas, mas gosto de músicas boas de pessoas que não são artistas...
Mas o que me fez ter vontade de escrever aqui foi o vídeo abaixo.
Então farei o prólogo com o vídeo e a letra da música.
Pra sentir o que eu sinto agora, enquanto eu escrevo este texto, uma boa coisa é dar um play aqui embaixo.
A música é bem gostosa...
Em 'italico' está a parte que eu mais gostei. Deu até saudade do meu violão.


Ela nem ligou pro patrão
Deixou o véio na mão
E foi pra rua espairecer
Buscar uma solução
Pros problema que ela tinha
E deu um giro na cidade quando decidiu me ver
Bateu no meu portão com lágrimas no rosto
Quase que eu sinto o gosto
Quando lembro dela assim
Me abraçou apertado
Num gesto desesperado
Saudade mútua, ela se entregou pra mim

E disse que não tá bem
Fez meu olho brilhar dizendo que tá foda em casa
E que os problema tão demais
Capaz de se jogar no mundão
Sem noção nenhuma do que pensa ou faz
E eu disse: então, meu bem
Cê sabe que eu sempre te quis
Que bom que veio me procurar
Se quiser desabafar, fica a vontade
Mas com toda essa saudade
Eu nem vou te deixar falar

Mulher, tú sabe o que eu vou te dizer
Os seus problema, a gente tem que resolver
Mas deixa pra amanhã, deixa pra amanhã
Porque hoje eu vou te fazer
Mulher, sabe o que eu vou te dizer
Os seus problema, a gente tem que resolver
Mas deixa pra amanhã
Porque hoje eu vou te fazer

Ela levanta antes de mim
Capricha na maquiagem só pra me agradar
Menina, a sina da minha vida
É ver que a minha mina é linda
Quando a gente vai dormir
E ainda é quando acordar, haha, sei lá
Ela é um poço de qualidade e defeito
E cada jeito dela é uma emoção
Toda mulher causa um efeito
Que esconde que seu corpo perfeito
É só um convite pro que ela tem no coração

E ela disse que não tá bem
Fez o meu olho brilhar dizendo que tá foda em casa
E que os problema tão demais
Capaz de se jogar no mundão
Sem noção nenhuma do que pensa ou faz
E eu disse: então meu bem
Tú sabe que eu sempre te quis
Que bom que veio me procurar
Se quiser desabafar, fica a vontade
Mas com toda essa saudade
Eu nem vou te deixar falar

Mulher, sabe o que eu vou te dizer
Os seus problema, a gente tem que resolver
Mas deixa pra amanhã, deixa pra amanhã
Porque hoje eu vou te fazer
Mulher, sabe o que eu vou te dizer
Os seus problema, a gente tem que resolver
Mas deixa pra amanhã
Porque hoje eu vou te fazer mulher, mulher, mulher

Se eu demorar, me espera
Se eu te enrolar, me empurra
Se eu te entregar, aceita
Se eu recusar, me surra
Se eu sussurrar, escuta
Se eu balançar, segura
Se eu gaguejar, me entende
Se eu duvidar, me jura
Se eu for só teu, me tenha
Se eu não for, me larga
Se eu te enganar, descobre
Se eu te trair, me flagra
Se eu merecer, me bate
Se eu me mostrar, me veja
Se eu te zoar, me odeia
Mas se eu for bom, me beija
Se tú tá bem, eu tô
Se tú não tá, também
Não tô legal, não tô
Pergunto: o quê que tem?
Tú diz que tá tranquila
Mas eu sei que não tá
Tú tá bolada, filha
Vamô desembolar
Se eu te amar, me sente
Se eu te tocar, se assanha
Se eu te olhar, sorri
Se eu te perder, me ganha
Se eu te pedir, me dá
Se for brigar, pra quê?
Se eu chorar, me anima
Mas se eu sorri é por você

Sabe o que eu vou te dizer
Os seus problema, a gente tem que resolver
Mas deixa pra amanhã, deixa pra amanhã
Porque hoje eu vou te fazer
Mulher, sabe o que eu vou te dizer
Os seus problema, a gente tem que resolver
Mas deixa pra amanhã, deixa pra amanhã, deixa pra amanhã
Porque hoje eu vou te fazer mulher, mulher, mulher
Hoje eu vou te fazer mulher, mulher, mulher

Mulheres são o que são
E não o que nós queremos que elas sejam
Por isso, mulheres são a razão e a fração
Do mundo que os homens mais desejam
Essa é pra vocês

Então vamos ao serviço...
Será que eu to bem? Não sei. Meu 'coração' da bem ferido, e as vezes o telefone toca, e aquela feridinha que está tentando cicatrizar, sangra... e eu fico triste novamente.
Mas hoje eu to melhor que estava ontem.
As vezes bate um desespero sabe? Aquelas perguntas sem respostas, como 'por que to passando por isso?', 'que injustiça', 'e agora o que vou fazer daqui pra frente?', 'e o que eu faço com todos os nossos planos e sonhos?'... e a dor é inevitável.
Ruim também é quando eu atendo o telefone, e num momento parece que estou anestesiada... mas no momento seguinte a dor volta. E eu me pergunto como eu pude chegar a esse ponto sem nunca tem percebido os meus erros, os problemas, a maneira com que tudo evoluiu.

Maaaaaaaaas, hoje foi um dia de reflexão
Pensei sobre a minha essência, e o quanto eu perdi dela nos ultimos anos...
Todas aquelas coisas que eu tanto dei - e dou - valor ficaram pra trás, junto com a pessoa que eu costumava ser.
As vezes pergunto onde encontra-se aquela Aline doce, aquela Aline que sabe falar baixinho... de maneira respeitosa, aquela Aline que NEM palavrão fala - e COMO eu falo palavrão hoje.

Ficar sozinha, desde o ultimo post me fez pensar nas coisas que eu gosto de fazer.
Hoje eu vou pra faculdade, e particularmente nesse semestre nem to tão estudiosa assim, mas eu simplesmente não faço nada das coisas que eu sempre gostei. 
A começar pela música! Lembro de épocas que eu tinha 3 mil músicas no meu computador.e eu NUNCA ficava em silêncio. Eu cantava o dia todo, conhecia pelo menos umas 10 musicas novas por semana. Eu amo música, eu amo cantar! E hoje... não tem nem sequer 100 músicas no meu computador...
A minha pasta de tablaturas? ... Elas nem existem mais! E eu tinha uma lista enorme de músicas!
Peguei meu violão no fim de semana, e meus dedos doeram... meu violão ta sem uma tarracha e uma corda! E aquele jogo de cordas é tão antigo que eu não sei como elas não estouraram sozinhas....

E dançar? Com o tanto que eu engordei no último ano fica meio desengonçado dançar, mas nos últimos 16 dias já se foram 4kg... e ficarei sem o restante em breve. 
Enfim, eu sempre gostei de dançar, e modéstia parte não danço tão mal. Não gosto muito de músicas sertanejas, mas adoro dançar a dois... dançar na brincadeira.
Saudades da época que eu ia pra 'night' e voltava as 8h da manhã, com o pé sujo de areia da praia... entrava em casa na ponta dos pés, pro meu pai não me ouvir. E ela me achava, e nunca brigou comigo! Ele sabia que não fazia nada de errado, eu só estava curtindo o que a vida tem de melhor.

Além de todas as outras coisas...
Aqui em Curitiba não conheço lugares 'tão' propícios aos meus outros hobbies, tipo andar na praia, ou levar a canga e jogar na areia e ficar ouvindo música e o barulho do mar por horas. Mas dá pra fazer outras coisas.

Tenho que considerar que mesmo quando eu voltar pra casa, talvez não tenha tempo suficiente pra ficar 'curtindo um nada' como eu fazia antes. Mas hoje, a lição que eu tiro de tudo isso que ta acontecendo na minha vida é que essa é a hora de recuperar a Aline que tem dentro de mim.

Aline que gosta de viver, Aline que ri a toa, que é simpática, que tem bom humor, que é positiva, que gosta de cantar, gosta de dançar, que gosta de fazer novos amigos (Há quanto tempo eu não faço novos amigos?).
Acho que to precisando de tudo isso. Eu não quis 'precisar' disso. Mas felicidade não é a falta de problemas, é saber enfrenta-los de cabeça erguida.

Estar 'gorDinha' talvez atrase um pouco tudo isso, auto-estima muito baixa e tal. Mas vai ser tudo devagar.
Agora que eu to tão sozinha, e tenho mais tempo livre, não tenho mais desculpa pra ignorar a acadêmia... vou cuidar de mim. Vou me recuperar de tudo isso.

E voltar a ser a mulher que eu fui um dia.

Alguns sonhos eu perdi, pra sempre. A minha caretisse de ter um amor só, é um sonho que não mais pra voltar... Já era, a partir de agora vai ser o 2º - isso se eu não ficar pra titia. E o que eu posso fazer? Quem sabe na próxima vida eu tenha o dedo 'menos podre' (hahahaha brincadeirinha), ou seja celibatária, daí não corro esse risco!

Hoje eu to melhor...
Obrigada por TANTAS mensagens que eu recebi. 
Talvez eu não estivesse escrevendo isso aqui sem elas...

É galera, prometo bons posts neste blog!
E isso aqui vai mudar de 'Diário da Paixão' para 'O diário de aventuras da Paixão'

Boa Noite, e bom fim de semana a todos! =)

quinta-feira, 6 de junho de 2013

12 dias

Faz muito tempo que eu não posto aqui no blog...
Hoje venho aqui pois preciso dividir sentimentos, tristezas...
Hoje eu preciso desabafar, e já estou abusando demais dos meus amigos.
Minha vontade é postar no facebook, pra quem sabe, quem eu quero que ouça tudo isso tenha algum tipo de piedade.

Há 3 anos e 5 meses mais ou menos eu fiz um post aqui no blog... O título do post é "O amor é livre"....
Eu escrevi este post aquele dia, pois achei que tinha tido de volta o amor da minha vida em meus braços...
lá eu escrevi isso que está aqui embaixo, sem saber o que aconteceria no futuro. E então o destino nos prega peças

"Amar é cuidar, amar é preocupar-se, amar é tentar melhorar a vida do outro. O amor entre conjuges é algo divino... É respeitar, é ser fiel, e além de tudo, ser também amigo, respeitar o direito do outro à liberdade, o amor é maravilhoso.
Hoje eu vivo um amor, a história de amor mais linda que alguém ja escreveu... Não exatamente um conto de fadas, mas não chega a ser um 'romeu e julieta'... mas decididamente é a história de amor mais linda que alguém NÃO escreveu..
Eu estou feliz, muito mais que completa. Eu ouço elogios e também elogio. Eu dou carinho e recebo carinho... reciprocamente. No meu amor não há regras, no meu amor TUDO é natural. A ausencia de regras no meu amor é que o torna sobrenatural, invencível... inevitável. O AMOR É LIVRE.
Amar sem precisar, amar sem querer contar vantagem, amar simplesmente porque gosta do cheiro daquela pessoa, da forma com que ela sorri, do tom da voz dela, da forma com que ela te faz sorrir, da forma com que o tempo VOA enquanto você está com ela. Da forma que você não cansa dela NUNCA. Da forma com que o tempo não consegue faze-lo esquecer.
Amar sem precisar... ai está a formula do amor de verdade. Um amor que independe de roupas, gírias, carros, músicas, beleza, amigos... um amor de verdade, porque o amor, da forma mais pura que existe É LIVRE.
Quem sabe um dia este meu amor encaixe-se dentro das normas dessa sociedade onde vivo, mas por hora, estou MUITO MAIS QUE SATISFEITA em simplesmente amá-lo e ele amar-me, prefiro um amor de verdade, um amor que eu não preciso mostrar pra ninguém que estamos bem, mesmo quando estamos chateados um com o outro [ coisa que no meu amor de verdade não acontece], um amor sem aparencias. O MEU AMOR. O MEU AMOR LIVRE!"

Há 3 anos e meio eu senti o frio na barriga a espera de alguém, eu me olhei no espelho mil vezes antes de sair de casa.
Lembro de quando eu o vi pela primeira vez, anos depois de estarmos separados.
Ele era tão lindo, tinha se tornado um homem... não era mais aquele menino por quem eu me apaixonei.
E ai as coisas foram acontecendo. A gente foi descobrindo sobre a vida do outro, fomos descobrindo nossas diferenças, e fomos nos encaixando a elas.



A vida me deu o melhor presente do mundo. Me deu o amor mais lindo, meu deu o amor que toda menina sonha quando é adolescente.
Me deu um amor que me olhou nos olhos dizendo que me amava, me abraçou, cantou pra mim, me deixou dormir em seus braços, chegou de surpresa só pra me fazer feliz, me deu presentes e cartas lindos... ah, as cartas, tem uma caixa delas aqui.
Eu sempre achei que estivesse vivendo num conto de fadas, achei que ele era o meu príncipe encantado, que veio me tirar daquela vida fútil, e que juntos construiríamos um paraíso ao nosso redor.

Mas a realidade não é assim. E há 12 dias eu descobri que não vivia num conto de fadas.
A gente se envolvia tão bem.
Lembro que da ultima vez que ficamos juntos quando estavamos bem, a nossa sintonia era tão grande! Como a gente riu! Parecia que cada dia descobríamos coisas novas um sobre o outro... E não havia rotina, a gente sempre mudava...
Lembro dos dias e das noites que passamos juntos...
Momentos indescritíveis, que eu sei que vou levar pro resto da minha vida.

E agora eu estou aqui... sozinha. Sem saber como me acostumar com a falta que ele faz em minha vida.
Sinto falta de tudo, DE TUDO!
Sinto falta de quando ele me ligava de manhã e eu estava morrendo de sono..
Sinto falta falta dos nosso apelidos! E QUANTOS APELIDOS! Tinhamos uma lista única pra isso...
Sinto falta das vezes em que a gente deixava o telefone no viva voz pra não dormir sozinhos... E como eu sinto falta disso.
Sinto falta dos nosso passeios. Que férias incriveis eu tive! A gente dizia que ía contar pros nossos filhos  todos os nossos passeios de moto! Fomos pra tantos lugares. LUGARES QUE SERÃO IMPOSSÍVEIS NÃO LEMBRAR DELE! Lugares que eu visitei apenas uma vez, e ele que levou lá.  E foram tantos...
Lugares que hoje está enterrado o amor mais lindo do mundo.
Sinto falta da voz dele brincando comigo.
Sinto falta de quando ele deitava por cima de mim, e dormia! Dormia! E eu tinha que acorda-lo, por que eu estava morrendo de calor!
Sinto saudades da maneira com que ele gostava de jogar a perna por cima da minha, e eu nunca reclamar!
Sinto falta das nossas conversas no skype....
Sinto falta da forma com que a gente namorava... ah, como eu vou sentir falta.

E eu, uma menina careta, que sempre quis ser de um homem só. Que sempre quis viver um amor só.... agora estou aqui, sem saber pra onde seguir...
Sem saber o que fazer.

Tudo se transformou numa imensa bagunça.
E  o motivo que eu recebi para este desfecho foi que o meu amor não queria mais ficar 'preso na gaiola', ele queria ser livre! Ele quer ser livre pra viver a vida dele, sem precisar ficar preso a um telefone, ele quer viver a vida de verdade! Ele quer um amor livre, mais livre do que eu achei que nosso amor fosse....
Vida de verdade que eu sempre achei que vivia com ele!

E agora eu estou aqui... sem metade de mim. Sem metade do meu coração, sem metade da minha cabeça, sem metade da minha boca, sem metade de tudo. Estou só, NO ESCURO!

Me sinto uma adolescente com tudo isso. Uma adolescente sem controle dos seus sentimentos, sem controle dos seus atos.
A verdade é que eu nunca, EU NUNCA imaginei que poderiamos nos separar.
Eu nunca imaginei que ficaria sem ele...
Mas ele foi embora...

E eu vou ficar aqui, sozinha.

Que Deus me dê forças por que ta doendo. Ta doendo demais.
Já não sei mais o que fazer para parar com essa dor...
Queria dormir, dormir para sempre....

Por fim, só me restam olhar as fotos...
Que levam com elas toda a felicidade e cumplicidade que um dia existiu entre nós...











Continuo este post outro dia. Sei que vou precisar escrever mais.
Boa Noite!