sexta-feira, 28 de junho de 2013

1 mês - Life is for living we all know and I don't wanna live it alone.

Boa Noite!
Hoje estou escrevendo aqui pois sou ansiosa demais!
Estou louca pra que chegue sexta que vem, pra eu poder fazer meu post de fim de semestre...
Mas é que hoje bateu uma tristezinha, e deu vontade de desabafar.

Para não perder o costume, vamos a música que inspirou este post.
Selecionei essa música pois ela foi a que eu mais ouvi, mas estou há alguns dias ao som de Coldplay, e assistindo bastante ao show que eles fizeram no Rio ano passado. Aí vai a letra...

"Now I never meant to do you wrong... That's what I came here to say.
But if I was wrong then I'm sorry, I don't let it stand in our way.

'Cause my head just aches when I think of the things that I shouldn't have done.
But, life is for living we all know and I don't wanna live it alone.

'Cause in the end there's only us, all my friends there's only love"

Além dela, tenho ouvido bastante 'fix you', também do Coldplay.

Bom, nesta ultima semana aconteceram muuuuitas coisas. Se é que é possível ocorreram mais discussões, mais brigas, mais confusões. Mas essas turbulências acabaram me distraindo da dor do amor. E acho que hoje foi a primeira vez em 15 dias que eu voltei a chorar...
Não digo isso com sofrimento. É que eu estava em provas, e final do semestre requer muito de mim... Sem contar que precisava terminar minha pesquisa, e também alguns problemas financeiros... enfim, eu meio que dei um 'pause' em tudo o que tava acontecendo em relação aos meus sentimentos, e me concentrei em outras coisas.
Mas hoje as provas acabaram - pelo menos as oficiais - e eu fiquei 'sem nada pra fazer', e já dizia vovó, mente vazia dá nisso.
Daí fiquei ouvindo música o dia todo, tentando fugir do que estava prestes a transbordar. E as horas foram passando, eu saí na chuva, fui longe pra caramba comprar um crepe, na expectativa de fazer-me esquecer. Voltei pra casa, liguei pra todo mundo que eu poderia ligar... mas parece que quando você mais precisa ninguém atende o telefone.
Enfim, não aguentei. Senti saudades, senti dor... por mais que hoje já faça um mês que tudo começou a mudar, aquela solidão veio novamente. Apesar de tudo que aconteceu nessas duas semanas, me sobrou espaço pra sentir falta dele, sobrou um espaço pra lembrar de como eu ria quando a gente tava junto. Hoje eu pensei, faz um mês que eu não sei o que é sorrir com felicidade... faz um mês que eu não sei o que é sorrir.
As vezes eu lembro da forma com que a gente ficava junto, da forma com que a gente brincava, da forma com que a gente se entendia, desde os olhares, até os gestos.
Lembro de como eu o achava bonito, de como eu gostava de abraça-lo, e como eu gostava quando ele me abraçava... parece que faz tanto tanto tempo que eu não sinto isso.
Estou carente... e com medo. Medo do que eu vou ter que enfrentar daqui pra frente.
Medo da minha insegurança comigo mesma, não sei se sou capaz de me aproximar de outra pessoa.
Hoje, durante a minha longa caminhada até o lugar que vende crepe fiquei olhando os homens que tem na faculdade. Pessoas que sempre foram invisíveis aos meus olhos... e eu reparei de como nunca nem sequer olhei pro lado durante esses três anos e meio. Vi homens bonitos, homens que eu considero atraentes... Mas sabe, eu me pergunto porque nenhum deles me interessa. Eu me pergunto quando vou dar abertura à uma conversa com outro homem, quando os unicos que eu conheci nos ultimos anos foram amigos da faculdade e amigos dele. Fico olhando as idades dos rapazes... Eu não aprendi a gostar de homens mais velhos... acho que 30 anos é tanto pra mim... mas o que eu vou fazer? Fico pensando de como seria chato namorar um cara mais velho, principalmente eu que sempre fui muito infantil para a minha idade... sempre gostei de caras bobos. 
Fico pensando na pessoa que eu posso encontrar... e como eu queria encontrar alguém pra tirar essa solidão de dentro de mim. No dia que eu encontrar alguém quero alguém bem diferente de mim... 
Não sei se ainda se ainda consigo trocar olhares, eu sempre vou achar que não sou boa suficiente pra ninguém, porque foi assim que eu me senti durante todos esses anos.
Quando eu era adolescente eu era tão corajosa, se estivesse a fim de alguém eu sempre ia atrás. E hoje não sei nem se sou capaz de me aproximar de outra pessoa...
Sei que não tenho mais ninguém. Agora eu estou completamente sozinha. Mas ainda não sei por onde começar.
Não queria mais sair 'a caça' como dizem por aí. Mas também não quero ficar sozinha o resto da vida.
"Life is for living, we all know, and I don't wanna live it alone"...

Não vejo a hora de voltar pra academia. Preciso recuperar - renovar - meu corpo, preciso cuidar de mim. E ainda assim não sei se um dia me sentirei segura, pra me tornar atraente para alguém.
Eu preciso me readaptar a essa vida de solteira, que eu tanto NÃO quis pra mim... E sei que isso vai demorar, não vai ser em um mês que isso vai acontecer.... Quem sabe em dezembro eu esteja preparada pra deixar alguém se aproximar de mim. Até lá eu vou me acostumando com o silêncio...

Hoje a saudade ta forte... saudade da vida que eu tinha antes... muita saudade.
Vou tentar dormir um pouco. Nada como um dia após o outro... E assim eu vou me acostumando com essa nova Aline, essa Aline que eu achei que nunca precisaria ser...

Boa Noite!


Nenhum comentário: