quarta-feira, 19 de junho de 2013

24 dias...

[Inicio este post com uma música indicada, e extremamente cabível a situação! Além de eu amar Lulú, claro!
Crédito à Zenilde ;)]

Ainda vai levar um tempo
Pra fechar
O que feriu por dentro
Natural que seja assim
Tanto pra você
Quanto pra mim...
Ainda leva uma cara
Pra gente poder dar risada
Assim caminha a humanidade
[...]
Não vou dizer que foi ruim
Também não foi tão bom assim
NÃO IMAGINE QUE TE QUERO MAL,
APENAS NÃO TE QUERO MAIS...


Olá pessoal!
Depois da enorme surpresa de ter conseguido recuperar meus posts excluídos, via google cachê (Santo Google cachê) estou aqui de volta pra falar de mim.
Pra quem não leu os posts antigos... bom, há exatamente 24 dias eu tive uma enorme - e péssima - surpresa... meu ex namorado terminou comigo. Terminou um relacionamento de 3 anos e meio, e uma história de muito mais que isso. Ele nunca deu sinais que queria terminar, estávamos bem até o feriado anterior, e de repente, tudo se foi. Se foi com a desculpa que o amor tinha acabado, que cansou das cobranças de um relacionamento fixo, que queria viver PELE - afinal, moramos há 450km um do outro, que não aguentava namorar o telefone.
Claro que eu me desesperei, me revoltei, fiz loucuras e mais loucuras. É muito difícil você ter todos os seus planos jogados pela janela e manter a calma; e considerando que eu nunca fui uma pessoa muito controlada... já viu né?
Maaaas, desde que terminamos eu sabia que não era só por 'acabar o amor'. Meu coração dizia que não. E acho que esse foi o principal motivo do meu desespero. Apesar de ser 'mal tratada' por ele, eu sentia que não era só isso, e também sabia que ele JAMAIS iria me contar a verdade.
Sexta houve uma festa na minha cidade, e viram ele beijando outra garota. Garota que era amiga de faculdade dele, amiga que foi a única que eu nunca impliquei. Amiga que eu liguei para programar a festa surpresa de aniversário dele em janeiro.
Eu sabia que a verdade iria aparecer, mais cedo ou mais tarde, mas não sabia como iria me comportar diante dessa informação. O que eu senti? ...NADA! Quando me chamaram no chat, à 00h40 do sábado eu já sabia o que era. Foi libertador! Foi uma confirmação da minha intuição... Esperei até ele chegar em casa, liguei pra ele, e o que eu vi foi um homem embriagado, e negando até a morte o que tinha feito.
Enfim, sábado já foi mais difícil... ficar a noite sozinha, remoendo tudo o que tinha acontecido e agora com  esse 'plus' não foi fácil. A feridinha cicatrizada abriu novamente. Chorei um pouco... mas nada como tinha acontecido antes. Estava muito mais equilibrada.
Domingo chegou e conversamos novamente, e enfim ele assumiu o tão falado beijo. E disse que foi DE BRINCADEIRA! Pasmem!

Resumindo, isso foi tudo que aconteceu desde o último post.

Hoje?
Hoje eu estou bem.
Tenho pensado menos nele... bem menos. Os primeiros e últimos pensamentos do dia ainda são nele, mas durante o dia já consigo me concentrar em coisas que não sejam: "O que ele está fazendo?", "Com quem ele está?", "Será que ele está pensando em mim?", "Será que ele está com outra?", "O que será que ele sente por mim?", etc.

Nestes últimos 24 dias eu ja senti TANTA coisa. Sofri - e ainda estou sofrendo, mas observei o que são os sentimentos a flor da pele. Senti uma tristeza muito profunda, senti decepção, senti raiva, mas também senti esperança, senti euforia, e acreditem, senti alegria!
Hoje eu penso como eu não aprendi a controlar os meus sentimentos. Na verdade, eu tenho me considerado altamente descontrolada... Indisciplinada talvez. Disciplina nunca foi meu forte...  mas acho que passei dos limites nos últimos dias. Falei mais do que deveria, para pessoas que talvez não merecessem, ou até merecessem, mas eu não poderia ter feito justiça com as minhas mãos.

Hoje eu estava pensando que preciso apertar minhas próprias rédeas. Não é de hoje que eu interpreto mal o que as pessoas me falam, não é de hoje que eu gosto de enxergar além das palavras. E as vezes eu acabo me comprometendo e me magoando muito por isso.
Hoje, eu preciso diferenciar um 'me desculpa se te magoei', de um 'eu ainda gosto e me importo com você', ou diferenciar um 'tenho que admitir que sinto sua falta' de um 'tenho saudades de você'. Tenho que aprender que nem todo mundo é impulsivo como eu, por que quando eu tenho vontade, EU LIGO, quando eu tenho saudade, EU DIGO, e quando eu quero que o outro saiba o que eu sinto... eu falo.
Muita gente diz que eu não devo fazer isso, que devo ficar na minha...
Mas qual o pecado em dizer que eu gosto de alguém? Em dizer que, apesar de tudo, meu coração ainda bate por aquela pessoa? Que apesar de tudo, eu gostaria de voltar no tempo pra ser feliz com essa pessoa novamente? Isso é ser sincero com os próprios sentimentos... Pra gente superar um sentimento, superar um acontecimento, temos que admitir que ele existe.
Sinceramente não acredito que controlando meus sentimentos, de modo nem falar o que sinto, me fará melhor. Mesmo o amor, vai embora com o tempo. Controlar demais o que sinto, me causa mais sofrimento... e não farei isso por hora.

Além de tudo isso...
Estou contando as horas para as férias. E pensar nas férias, me faz ficar bem.
Estou construindo novos planos! Nada a longo prazo como eu tinha antigamente, mas planos deliciosos...

Termino este post por aqui, meio pela metade, mas continuo com as novidades que virão...
que são inúmeras! ;)

Beijos, e até mais!


Um comentário:

Jessica disse...

"A vida maltrata quem sente demais. Quem sente demais acaba sofrendo mais que a maioria das pessoas. Tudo importa, tudo é exagerado, tudo é sentido de corpo e alma."
Viva como o lema do AA... só por hoje eu não pensei... só por hoje eu não chorei... uma hora isso tudo passa e não vai precisar mais disso!!!
Bjus Jessica (sua ex-vizinha)