domingo, 28 de julho de 2013

"Eu acredito nos meus sonhos, eu acredito na minha vida"

Onde estiver espero que esteja feliz encontre seu caminho,
Guarde o que foi bom e jogue fora o que restou

Tem horas que não dá pra esconder no olhar, 
como as coisas mudam e ficam pra trás,
O que era bom hoje não faz mais sentido.
É, uma hora isso ia acontecer.
A vida cobra e a gente tem que crescer.
Me pergunto se você pensa em mim como eu penso em você.

Onde estiver espero que esteja feliz encontre seu caminho.
Guarde o que foi bom (foi bom) e jogue fora o que restou.
Pois acredito nos meus sonhos, eu acredito na minha vida
E no meio dessa guerra... Nenhum de nós pode ganhar.

Sonhar, e não desistir. Cair e ficar de pé,
Dar valor depois que passou. É duvidar da sua fé,
Eu vejo a vida tem vários caminhos. E entre eles o destino improvisa,
Nos pequenos detalhes da vida, A resposta está escondida.

Memórias e lembranças. Certezas e dúvidas.
Nada parece mudar. E apesar de tudo enquanto o tempo passa.
Ainda espero a sua resposta....
_________________________________

Hoje eu não pretendia vir aqui escrever. Mas senti uma necessidade imensa de desabafar, e não queria fazer isso para alguém em particular, e nem mesmo postar no face. Então sobrou meu blog.

Neste momento eu to bem chateada. Talvez não devesse estar... sei lá. 
Mas é foda. Passaram-se 3 meses já. 3 longos meses.
Eu me sinto livre, eu me sinto neutra. Sinto-me sozinha aqui em Curitiba também, mas não sinto falta de alguém especificamente. Só quero ter companhia, quero sair a noite, ver gente, rir um pouco. 
Nesses três meses aconteceram muitas coisas. Quando meu 'sonho', meu 'conto de fadas' acabou eu fiquei bem triste, não via saída para aquela situação. Precisava voltar pra casa, encontra-lo, verificar se o que eu fantasiava era verdade. E aí entrei numa segunda fase da coisa.

Namorei 3 anos e meio a distância, nos vendo apenas uma vez ao mês e nas férias. Descobri que eu namorava alguém das minhas fantasias. Descobri que eu CRIEI um companheiro. Criei alguém que era perfeito pra mim. Que não mentia, que fazia tudo certo. Que tinha o corte de cabelo que eu gostava, que usava as roupas que eu gostava, que falava as coisas que eu gostava, que ia a lugares que eu gostava. E a vida real me mostrou que isso NUNCA EXISTIU.

Não que ele seja 'errado'... não é isso! É que ele não era o que EU imaginava! 
Então veio uma segunda fase de dor... que foi a dor por estar procurando algo que eu nunca iria encontrar, simplesmente porque nunca existiu. Mas, com isso veio um bom 'prognóstico', pois se eu estava procurando por algo que não existia, logo eu iria parar de sofrer... até porque não havia 'objeto causador de sofrimento'.

Mas foi uma fase complicada. É muito difícil você olhar pra uma pessoa e ficar se procurando nela um olhar que NUNCA existiu, um TOQUE que nunca existiu.... que era tudo fruto da sua imaginação. Eu descobri que aquele cara que estava comigo era um colega bastante divertido e engraçado, extremamente oposto à mim, com idéias, princípios e interesses completamente extremos aos meus. Nos encontramos, e eu tive que vê-lo pra concluir que não sentia nada por ELE, não sentia nada por AQUELA pessoa. Eu amava alguém, mas era um amor 'do mundo das idéias'. Eu sustentei uma ilusão por 3 anos e meio.

E após essa triste conclusão, a saudade passou, a dor passou. Na verdade eu acho que foi uma aceitação, foi aceitar que não havia NADA porque sofrer. Eu nunca conseguiria de volta algo que nunca tive.

E eu cometi erros, sucessivos erros nestes 3 meses. Movida pela paixão, pela loucura, pela possessividade, pelo medo de ficar sozinha, medo de perder a fonte de alegria - fruto da minha imaginação. Acabei causando dor à muita gente. Feri muita gente nessa 'brincadeira'. "E no meio dessa guerra, nenhum de nós pôde ganhar"

Hoje estou em Curitiba, tive uma noite ótima ontem. E estou bem - um pouco chateada por estar sozinha. Querendo companhia de alguém, não necessariamente um namorado - mas tenho que admitir que é impossível esquecer uma história de quase 10 anos em 3 meses. 
Dai eu fiz a BURRICE de fuçar 'facebook's' alheios. É tipo sadomasoquismo né?  E agora estou aqui, DE CARA, como dizem os curitibanos... To de cara obviamente por causa da minha fantasia né?

Mesmo 3 meses depois de tudo, as vezes eu me pego sentindo falta da bendita fantasia. Procurando coisas boas na pessoa, pra alimentar minha fantasia.
 Dai encontro MAIS MENTIRAS, MAIS SAFADEZA. Dói pensar que eu criei planos de casamento, que eu criei planos de ter filhos, de formar uma família com alguém que simplesmente não existe. 
Nessas horas eu queria estar no Guarujá, encontra-lo só pra minha consciência dizer: "Viu sua trouxa, não existe viu?"

Eu acredito muito em sexto sentido, e quando ele terminou comigo, eu tinha certeza de algumas coisas, que NINGUÉM acreditava, e aos poucos foram se provando verdadeiras.
Mas, eu fiz a besteira de dar ouvidos à ele novamente, e ele tem uma lábia que Jesus ficaria encantado - na verdade não é a toa que Jesus era capricorniano né?... -  e acabei me convencendo de algumas histórias, que HOJE descobri que eram mentiras. Não vou dizer que doeu, mas me deu ÓDIO. 
Foi a minha consciência me dando um tapa na cara, e o diabinho escrevendo TROUXA na minha testa.

Não considero a possibilidade de reatarmos. Estou satisfeita agora. Mas tenho raiva em pensar que fiquei tanto tempo com uma pessoa que me enganou TANTO. TANTO.
Eu, que sempre 'provei' ser tão esperta, tão inteligente... 'a menina que consegue tudo que quer' é como alguns dizem, foi TÃO ENGANADA. E até hoje ainda é né? 
Que raiva, é isso que eu tenho, RAIVA!

Gostaria de ser uma HD, e que a pasta EX-namorado (como todos os seus anexos) pudesse ser excluída definitivamente - sem nem sequer mandar pra lixeira.

Por fim, eu geralmente explico porque escolhi a música no começo, mas hoje precisava muito começar escrever. Enfim, acho essa música muito bonita. E é uma mensagem tanto pra mim quanto pra ele hoje.

Memórias e lembranças. Certezas e dúvidas.
Nada parece mudar. E apesar de tudo enquanto o tempo passa.
Ainda espero a sua resposta....

E pior, depois de tudo isso eu to tendo umas péssimas intuições, que prefiro nem verbalizar.  Mas se acontecerem, em breve eu posto aqui...
Hoje o que eu queria mesmo é pegar o carro, ligar o som, e dar um rolé pela orla da enseada...
 Mas, por hoje é só, preciso estudar.

Até mais!

Ps: "A dor do amor, é com outro amor que a gente cura"

Nenhum comentário: