segunda-feira, 26 de agosto de 2013

3 meses!


Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia.
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira,
Mas não sou mais
Tão criança a ponto de saber tudo.

Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você.

(...)
Sei que, às vezes, uso
Palavras repetidas,
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você
Estava chorando
E foi então que eu percebi
Como lhe quero tanto.

Olá pessoal, boa tarde!
Hoje tem exatamente 3 meses que eu sou uma mulher sem um 'relacionamento sério'.

Agora são 12h33, e eu estou na biblioteca da Santa Casa rascunhando este post. Na verdade se a biblioteca fosse continuar aberta, eu iria termina-lo agora, mas as 13h ela fechará; então, preciso dizer que este post será escrito 'por partes'.

3 meses,... 3 longos meses. As vezes parece que tudo aconteceu ontem.
Existe uma cicatriz enorme em mim, que volta a sangrar regularmente. E dói.
E existem monstros que atormentam meus pensamentos, e é quase impossível viver quando isso acontece.

Nesses ultimos meses eu me olhei no espelho de maneira com que nunca tinha olhado antes. Eu vi defeitos que nunca tinha visto. Fui obrigada a encarar o maior medo da minha vida: A SOLIDÃO!
Nestes 3 ultimos meses eu tive uma overdose de dores, de rejeição... Hoje eu passo por um momento que eu nunca acreditei que fosse viver na minha vida.

Atualmente cada minuto em silêncio é pra pensar "O que eu poderia ter feito diferente?", "Será que o erro foi meu?", "Será que se eu não fosse tão mandona ele ia abrir mão da 'pegação' pra ficar só comigo?", "Ou será que independente do que eu fizesse ele jamais teria sido fiel?"
Alguns traços da personalidade dele são marcantes, e ele segue um perfil, desde que tinhamos 15 anos. São as mesmas histórias, o mesmo jeito apaixonante e manipulador... que convence quem ele quiser, do que ele quiser. E eu cai - e caio até hoje - nas coisa que ele conta.

Como eu, que sempre me declarei tão esperta, tão perspicaz, me deixei levar POR TANTO TEMPO por idéias que no fundo eu SEMPRE SOUBE que eram mentiras. O poder da negação é amedrontador!

Neguei para mim mesmo, durante todos estes anos, as tonelada de mentiras que ouvia diariamente, tinha alguma esperança ainda que ele iria mudar. Preferia fingir que não ouvi.
E o pior, depois que eu terminei meu namoro passei a discutir relacionamentos com muitas amigas, e percebo que algumas delas tem um relacionamento tão furado quanto era o meu. Que existem várias pessoas vivendo numa bola de mentiras - e que chamam aquilo de felicidade.

Eu sinto falta dele ainda. Sinto falta de como ele era exageramente divertido quando saíamos... modéstia a parte, mas eu nunca conheci um casal igual nós eramos. Casais de namorados são chatos ao saírem em grupos. Eles ficam grudados, abraçados, fazendo mimimi e conversando em particular em rodas de amigos! Que chato! E eu e ele nunca fomos assim... se era pra sair com os amigos, a gente curtia como amigos...
Se não for pra eu ficar pra titia, espero encontrar um cara assim... que brinque com as minhas amigas, que as respeite, mas nos dê liberdade também.

Fazer parte de um circulo de amigos é essencial para um relacionamento. E essa era uma parte maravilhosa do meu namoro. Ele gostava dos meus amigos, e eu também gostava dos amigos dele... E desde o início do ano, essa afirmação tornou-se falsa. E os nossos problemas começaram a piorar.

Foi quando ele entrou na faculdade que a 'cabeça começou a mudar'. Pelo que ele me contava, as amigas dele - e ele tinha vááárias - diziam que eu não era boa pra ele. Que eu com certeza o traía aqui em Curitiba, e que ele não deveria abrir mão da vida (leia-se beber cerveja no bar em dias de semana com a galera da faculdade) dele por causa de um namoro a distância.
Mal sabiam elas sobre a vida dele. Mal conheciam ele como eu conhecia. Mal sabiam de metade da nossa história. Mas como ele sempre foi altamente influenciável, ele deixou-se levar... e lembro de algumas brigas nossas por causa dessas idéias que ele então acreditava agora.

Eu sempre tive ciume das gurias da faculdade. Tinha ciumes porque sabia que elas não eram como eu. Sabia que pra elas, uma puladinha de cerca não afetava em nada. Sabia que elas não tinham o príncipio de 'estrutura familiar saudável' que eu tinha... ou seja, as coisas erradas para mim, para elas não era problemas.
E nossa, enxer a vida de regras é chato, é dificil né?
Ninguém pensou nas dificuldades que ele ja tinha passado na vida, antes de plantarem a idéia na cabeça dele de que largar tudo pra viver a vida iria valer mais a pena.

E ai está o resultado de tudo isso: Duas familias que não se gostam. Duas pessoas que sentem a falta uma da outra, realmente longe de si agora. Duas pessoas que ja pensaram em reatar, mas que sabem que isso é impossível! Foi uma guerra sem vencedores! Só houveram perdedores nessa briga!

Passei por decepções demais nestes ultimos 3 meses. Enfrentei a tristeza de uma despedida sem direito a adeus, e quando o reencontrei, ele só queria a parte 'química' da coisa... Me senti um objeto. Enfrentei a tristeza de ouvir 'eu te amo', e no dia seguinte ve-lo assumir namoro com outra pessoa, pra três dias depois 'terminar' e me ligar dizendo que sentia minha falta... Ignorando o fato de que a ação que ele tinha cometido fez com que eu chorasse nos três dias anteriores.

Passei pela situação de reencontra-lo, e ouvir da boca dele que ele já tinha ficado sim com 'outraS' garotas.
Ouvi, depois de tudo que eu fiz por ele, que EU fui ruim pra ele. Que a vida dele estava do jeito que estava por minha culpa... quando o que eu mais fiz foi empurra-lo pra ir pra faculdade, algumas vezes estimulando ele a gostar de determinado emprego, empurrando-o pra visitar o filho dele, cuidando da roupa, e até do pagamento das contas. Eu exagerei? Obvio que sim! Mas me falarem que ele está assim por MINHA causa? MINHA causa??? Eu nunca terminaria este namoro! Por mais insalubre que ele fosse... eu era feliz naquele mundinho que vivia. Não fui eu a culpada disso tudo.

Com toda certeza eu posso afirmar: Eu não sei o que é ser feliz depois que ele se foi...
Eu saí algumas vezes, conheci algumas pessoas... Mas aquela não sou eu. Aquela é uma Aline que foge da realidade do mundo dela. É uma Aline que age sem pensar.
Eu me sentia protegida com ele. Quando algum homem olhava pra mim, eu procurava ele com os olhos e rapidamente ele estava ali, comigo.
E agora?
Agora eu vejo ele em rodas de mulheres, rindo, se divertindo, e eu me sinto muito descartável... Sinto como se esses 3 ultimos anos não tivessem servido de nada. Parece que eu nunca acrescentei nada na vida dele... e que ter ido embora não fez a mínima diferença.
Daí as vezes ele liga... fala umas coisas bonitas, faz meu coração bater forte, faz eu dormir como se tivesse ganhado na loteria... e os dias que se sucedem a ligação são como esperar pela morte. Ele some, por dias, sai com a galera no fim de semana... e eu choro, choro com sentimento de traição, porque sim, eu fiquei esperando a ligação dele.
E ele me liga dias depois dando desculpas do tipo "meu celular quebrou", "ah, eu saí e não vi suas ligações"... E vem a sensação de ser feita de trouxa.

3 meses depois que eu estou sozinha, só me pergunto até quando essa dor vai durar. Eu to fazendo tudo certo, to indo a terapia, ao grupo de ajuda, to indo a academia, mas a tristeza não passa nunca. Eu só tenho desejo de ser feliz de novo. Eu preciso tanto de amor...
E ela me dá tudo em um segundo... e no outro tira!

Depois de 3 meses eu me sinto TÃO humilhada diante dessa situação toda... Me sinto tão carente, me sinto tão burra, tão usada!

Hoje eu vejo a minha e penso "Mas que merda eu me tornei!"
Hoje eu vivo pra cumprir tabela. Eu vivo como um burro de carga.
Ajudo aqui, ajudo ali, e VIVER? Viver quem sabe na próxima vida.

Tantas coisas passam na minha cabeça...
As vezes eu me pergunto pq ainda vou a terapia, ou ao grupo..... As vezes a unica saída que eu vejo pra essa situação é ele mudando de cidade e vindo ficar comigo. Mas no fundo eu sei que isso nunca iria me trazer felicidade 'para sempre', porque ele continuaria sendo quem é, e logo faria as mesmas coisas que fez dessa vez.

Mas de que adianta estar emagrecendo? De que adianta VIVER?
Eu sou apenas um numero na chamada, um assento reservado no onibus, um endereço para entregarem contas... eu sou mais um número! Só mais um número.

As vezes eu me pergunto o que Deus quer de mim! Por que isso ainda está assim? Não é de hoje que eu digo que cansei, eu já cansei de tanto chorar... de tantos finais de semana sozinha.
Chega, se era um castigo eu já aprendi. Agora chega!

Eu quero ser importante pra alguém também... Eu não quero ser só mais uma.

E mesmo depois de 3 meses, com tantas mentiras, tanta humilhação... Mesmo ele dizendo que já teve outras mulheres... era ele que eu queria aqui hoje. Mas eu não posso...

Se alguém aí está lendo isso... por favor reze por mim. Eu não aguento mais minha vida. Não aguento mais sofrer tanto. Não aguento mais ser tão sozinha.
Enquanto tantas meninas da minha idade querendo curtir festas, baladas... Se eu pudesse hoje eu já teria minha família, minha casa...
Eu não quero essa vida que eu to levando. Eu quero uma vida normal...


Enfim, 3 meses depois de tudo, cada dia ainda é um dia. Cada minuto é uma luta.
E não tem uma noite que não durmo sonhando em acordar no mundo que eu vivia antes....

Boa tarde.

2 comentários:

Zenilde Carmo disse...

Aline vamos reagir, ninguém vai te dar valor se vc mesma não o faz. Você é uma menina linda e poderosa, tem todo poder nas mãos, não espere valorização de ninguém. Você vai chegar onde quiser e acreditar q pode . Seu futuro está em suas mãos. Vamos lá, segura na mão de Deus e busque o melhor. Beijos!!!

sibeli disse...

Nossa Aline q desabafo heim...q historia tristi mas a vida continua força na peruca tambm passei por isso d namoro a distancia mas no meo caso ele foi embora pra Londres...meo mundo akbou mas com fe em Deus me ergui e olho pra mim hj e me sinto guerreira e FELIZ com a vida q Deus me deu...meo marido e meu principezinho d nasceu...hj sim sou realizada...hj em dia ele voltou pra ctba e vive uma vidinha medilcre...casou ...separou...e eu to bem graças a Deus haha Fe no pai q o inimigo cai rsrsr...conte comigo qdo kiser conversar me liga bjks fik com Deus e c cuida garota...