sábado, 31 de agosto de 2013

Even if it's just for the day!


Aggressively we all defend the role we play
Regrettably, the times come to send you on your way
We've seen it all, bonfires of trust, flash floods of pain

It doesn't really matter, don't you worry it'll all work out
No, it doesn't even matter, 
don't you worry about what it's all about

(...)
Outside the sun is shining
Seems like heaven ain't far away
It's good to have you with us
Even if it's just for the day

Boa Noite! =)

Hoje como estou mais 'equilibrada', vou iniciar falando da música que eu escolhi para fazer trilha sonora deste post.
Exitlude, do Killers - A escolhi pois além de gostar muito dessa música e da banda, no dia de hoje ela tem um significado especial.
"Even if it's jutst for the day" - Ou "mesmo que seja apenas por um dia"
É assim que eu estou hoje. Como um 'por hoje não' sabe? Hoje eu estou vencendo. 1x0 para mim. Não digo 0x1 para o amor, digo 1x0 para o meu auto-controle, digo 1x0 para o MEU amor próprio!

A música se inicia falando sobre como 'defendemos o papel que representamos'. E esta é uma verdade quando se trata dos meus últimos 3 meses.
Perder meu papel de companheira, de namorada, de amante, de amiga, DE MÃE... É consideravelmente difícil. É abrir mão sobre a onipotência e oniciência de um mundo que eu achava que controlava.
E além disso são três meses travando uma batalha em que o oponente não levanta uma arma para lutar. Ele simplesmente assiste a minha tentativa de desvencilhar-me de um mundo que nunca me pertenceu, e eu nunca sequer percebi isso.

E "lamentavelmene, o tempo vem me mandar para o meu caminho", afinal, já era tempo dessa história acabar. Incrível como algumas pessoas já até me disseram "Ah, eu não creio como durou tanto, vocês eram um casal legal, mas em mundos completamente diferentes".
Mas como eu disse inúmeras vezes aqui... Eu acreditei no amor. Acreditei na pureza e na inocência do amor, que no meu mundo poderia enfrentar qualquer viagem turbulenta, qualquer noite escura, que nada o destruiria...
Mas o tempo chegou... Para nós dois! E nossos caminhos hoje seguem opostos. As notícias que chegam aos meus ouvidos são interceptadas, modificadas, são meras (e tão conhecidas) mentiras.

Andar por uma estrada em sozinha e em silêncio torna a viagem longa e cansativa, os dias não acabam e tornam-se desinteressantes! Nos momentos de medo, onde conter-se próximo ao outro era uma excelente solução, hoje são grandes chances de amadurecer e enfrentar o que vier pela frente.
Conhecer o inesperado! É isso que tem acontecido.
Eu me acostumei a viver à dependência de pessoas, admito que com um 'pequeno' brilho pessoal - digamos que com a 'iluminação' do caminho.... Mas nunca fui a frente, nunca dei a minha cara a tapa, nunca mostrei meu rosto! Sempre preferi das as coordenadas e assistir. Sempre deu certo, e aquela situação era bastante confortável.
E há 3 meses eu enfrento tudo sozinha. O solidão da minha própria companhia... o meu próprio silêncio. Não tem sido fácil, não tem.
As vezes eu sento a beira da estrada, sinto vontade de me afundar num grande buraco e nunca mais sair de lá.

Pois é, e quem me acompanhou aqui "Já viu de tudo, fogueiras de confiança e inundações de dor"...


"Na realidade não importa, não se preocupem, tudo vai dar certo..."
Isso foi o que eu mais ouvi nos últimos 3 meses... "tudo vai dar certo".
Doei-me por alguém, sem exitação, sem medo! Doei-me... meu amor, meu afeto, meus segredos, meu corpo, meu mundo. Doei-me por inteiro! Acreditei que havia encontrado alguém para dividir a minha vida, quem sabe eternamente... E passei por grandes desafetos, grandes decepções.
Passei a humilhação de ser traída, e nem ao mesmo tive a lealdade daquele que eu tanto amei, que negou até que eu obtive provas.

Nestes 3 últimos meses eu perdi grande parte da minha inocência. Acreditei que vilões só existissem mesmo em novelas e no cinema. Sempre cri que mesmo no pior bandido houvesse um pouco de profundidade em sua alma, que houvesse sentimento, compaixão, caridade...
Não conheci muitos vilões graças a Deus, mas eu ainda estou admirada com a capacidade que algumas pessoas tem de manipular pessoas - e seus sentimentos - sem guardar remorso. Fico admirada como alguém consegue colocar a cabeça no travesseiro antes de dormir, e esquecer que está causando algum tipo de dor evitável à outro, E MESMO ASSIM, consiga dormir!
Não faz parte da minha ideia de humanidade. Prefiro pensar que é mesmo um déficit cognitivo, uma incapacidade de reflexão. Um ser menos evoluído, e não um "sapiens sapiens".
É impossível viver com a dor do outro, especialmente se tiver em minhas mãos o poder de cura, que no meu caso, era a verdade.

A VERDADE LIBERTA!
Quantas vezes eu ouvi falar de 'necessidade de liberdade'.
Mas o que é liberdade? Já tive uma discussão de horas com meus pais sobre este assunto, e não chegamos a um consenso.
A definição de liberdade é algo muito pessoal e relativo.
Na minha pele, liberdade é poder dizer o que eu penso (como faço neste blog), é vestir a roupa que eu gosto, dançar com a música que me faz bem, e é ter a consciência que eu não privo ninguém à liberdade...
A minha liberdade não é suprimida por eu ter que avisar as pessoas que eu amo onde eu estou! Isso é cuidado! É cuidado com quem eu amo! Não quero ferir ninguém às custas da minha irresponsabilidade, da minha imaturidade.

Algumas pessoas pregam uma ideia de liberdade tão diferente de mim, que eu fico me perguntando realmente quem está errado! Liberdade pra mim, é ter também o direito de decidir quando parar, é dizer "não, eu não bebo" e meus amigos me respeitarem. Ter liberdade é não ser dependente de nada que altere minhas funções psíquicas. Engraçado como as pessoas mais dependentes são as que mais pregam a liberdade.


Continuo a dizer... Não está fácil. Cada dia é um dia.
Mas eu tenho minha alma lavada, minha consciência limpa! Fiz o que pude - aliás, fiz até mais do que pude, e muito mais do que deveria.
Julgar? Não cabe a mim! Nem nosso Pai Celestial foi aceito por todos... Ele foi julgado, crucificado e morto, mesmo sendo santo!
Deito minha cabeça todas as noites sabendo que fiz por todos e cada um TUDO o que eu pude fazer, para minimizar a dor, para acalmar os corações. E é isso que me dá forças pra continuar. Creio que é por isso que tantas pessoas se aproximam pra me ajudar e me reerguer...

Por fim, "Lá fora o Sol está brilhando, parece que o paraíso não está tão longe"...
Em 27 dias completo mais um ano de vida... E neste que eu tenho vivido existem muitas lágrimas espalhadas. Espero realmente que no próximo ano que irei viver, eu possa dividir com vocês alegrias, sucessos e vitórias. E quem sabe um um novo - E VERDADEIRO - amor recíproco!

O futuro é fantástico! É delicioso imaginar como estaremos daqui tantos anos! E mais mágico ainda é saber que tudo pode mudar de uma hora pra outra (olha eu aqui?! Pra quem ia casar em 2016 né?).
Incrível é essa estrada maravilhosa a vida... na qual andamos sem saber onde vai dar.

Se tem uma coisa que eu aprendi nesses 3 últimos meses foi a ter esperança!
Se eu estou aqui, viva, indo pra faculdade, contando os dias para ver meus familiares e até saindo para caminhar em dias de sol, é porque eu tenho esperança que dias melhores virão...
e todas essas minhas lágrimas serão páginas viradas de um livro cheio de aventuras que continua sendo escrito, dia pós dia, pelas minhas próprias mãos.


"It's good to have you with me
Even if it's just for the day"

Boa Noite! =)

Um comentário:

Zenilde Carmo disse...

Até 2016 tem tempo de sobra para aparecer um amor verdadeiro, eterno e recíproco. Deus está preparando tudo!