domingo, 5 de janeiro de 2014

Tá tudo errado!

Ta tudo errado!
De repente me vejo novamente perdida... Perdida não, achada! Sei lá! Será?
E os pensamentos vem, e a minha cabeça vira uma multidão de palavras... misturadas, sussurradas, gritadas, cantadas, suplicadas! TÁ TUDO ERRADO! TÁ TUDO ERRADO!

E os pensamentos se misturam, e se dissipam, e vão e vem... E as vezes parece que eu vou enlouquecer. São incontroláveis, imensuráveis, incessantes e infinitos...

E o certo torna-se errado, e o errado torna-se certo.
E o certo e o errado já tornam-se nada!
E não há mais nada...
E há tudo... Mas... O que fazer com isso?
Como transformar pensamentos em palavras... e palavras em AÇÕES!!!?? Tá tudo errado!

Como escolher? ... Há escolha mesmo?
Ou estamos seguindo um script codificado em nosso DNA... Ou seria em nossa alma? Seria esse o tal do destino? Será que somos mesmo donos das nossas próprias escolhas? Ou será que estamos atuando, ACHANDO que somos livres!
Sentimentos... Somos prisioneiros deles! Amor, dor, raiva, ódio, decepção,... Dá pra fugir? DA MESMO? Ou você está se enganando?
Será que é possível fugir do destino? Ou independente do quanto você fuja ele ainda assim conseguirá te alcançar!?

E a fórmula da felicidade?
É feita de quê? Cada um tem a sua? Ou é a mesma para todos!?

A vida é simples? SIMPLES? SIMPLES MESMO? Jura? Onde?

E se Deus não existisse? E se as religiões não existissem?
E se existisse apenas o amor..? O amor que Cristo nos ensinou?
E quando você age? Age como Jesus agiria?
Ou está ligado à tomada do pensamento comum?

E se amar fosse a solução para todos os problemas? E se amar fosse o suficiente para terminar guerras, e destruir diferenças, e aproximar as pessoas... Por quê as pessoas são tão preconceituosas?
TÁ TUDO ERRADO!

Aconteceram muitas coisas nestes últimos dias.
Coisas que, mais uma vez puseram a prova minha SABEDORIA! Minha tolerância.... MEUS LIMITES!
Coisas que me fazem duvidar de tudo que eu ouvi a minha vida toda.

E a vida pede de mim decisões... E sinto-me imatura, despreparada, nua! Sinto-me incapaz de decidir.
Concluo que as decisões que eu tomei até hoje foram fáceis demais. E eu as tomava sabendo que mesmo que errasse, teria alguém para corrigir meus erros...  Ou meu erros eram demasiadamente pequenos, a ponto de serem esquecidos rapidamente.
Maas, também penso que eu NUNCA precisei decidir até agora... As vezes parece que a vida me levou até onde eu cheguei. Eu nunca disse SIM e NÃO... As coisas apareciam, e só havia uma saída para aquilo.
E quer saber? Agora não é diferente...  Eu só vejo uma saída! Mas pegar a chave, abrir a porta e entrar por ela significa que terei que deixar parte da minha bagagem para traz... Pois ela não cabe onde eu quero entrar.
E neste momento eu penso... O que é felicidade?
Será que mais uma vez estou me enganando? Será que eu tô errada também? Ou será que as pessoas estão erradas?

Sabe, metade do meu facebook está no exterior... viajando, vivendo vida de compras, e baladas, e bebidas...
Mas qual a minha ideia de felicidade? Eu cresci aprendendo que 'tinha que estudar', 'tinha que estudar', 'tinha que estudar'... Era tipo um mantra! E eu o levei a sério. Mas eu tinha que estudar, para poder conseguir ter um bom dinheiro, e COMPRAR COISAS....
Mas nunca ninguém me falou que eu tinha que comprar coisas para SER FELIZ!
E SÉRIO que achavam que comprar coisas traz felicidade?

Cada dia mais eu tenho vontade de migrar. Sair do Guarujá. As vezes eu queria morar numa rua onde não passam carros... A cidade está me enchendo.
Sabe o que é felicidade pra mim? É ter uma família, é ter amigos para poder celebrar o aniversário, é poder esconder ovinhos de páscoa para as crianças, e fazê-las acreditar em papai Noel. Felicidade pra mim não é ter o carro do ano, mas ter um carro que supra minhas necessidades.
Felicidade pra mim, é amar... e é ser amada.

Cada dia mais, eu só penso: Terei uma profissão que me dará dinheiro, mas quero morar num lugar simples, quero ter uma vida simples.
E se eu passar a vida toda sem pisar em Paris, morrerei feliz. Morrerei feliz se souber que mesmo sem ir a Paris eu tive ao meu lado pessoas que me amaram, e me fizeram feliz. E que tive uma família para chamar de minha. E eu pude ser livre. (Não entrarei na discussão sobre o que é liberdade, já fiz um post sobre isso uma vez)

E pra que ganhar tanto dinheiro se eu não preciso dele todo? Se eu posso ser feliz com muito menos?

E por que eu penso tanto? Por que eu penso tanto?
Penso, penso, penso... e no fim, não consigo tomar atitudes do mesmo jeito.
Eu, que sempre me considerei tão corajosa, vejo-me amedrontada...
Com o peso de uma vida que eu ainda não tenho.

Neste momento eu não consigo enxergar o futuro. É como breu. E eu só conheço o que me toca.

E eu só penso que tá tudo errado! Por todos os lados...
E eu me sinto um ser alienígena, um extraterrestre!
As pessoas tentam nos fazer acreditar em coisas que não são necessárias.
A sociedade nos impõe valores desnecessários.
E a felicidade perde seu alicerce...
O alicerce a felicidade é o amor. E quando se ama, o amor basta. SIM, O AMOR BASTA!

E quando tudo parece que vai se resolver... Aparece um novo problema.
O que Deus quer de mim com tudo isso? Eu tenho medo.
Acho que Ele levou a sério quando eu disse que gostava de resolver problemas

Um dia uma pessoa me disse que aprendia muito com o que eu escrevia, e que aprendia com os 'meus erros'. Será que eu vou servir de exemplo para erro, e superação de tristezas a vida toda?
Quando eu vou vir aqui escrever sobre a minha nova vida? Contar como foi incrível nascer de novo?

Felicidade plena... Eu não sei o que é isso há bastante tempo. E tenho muita dúvida se isso existe mesmo.

Hoje eu só queria uma bola de Cristal, ou então que alguém mandasse eu fazer algo...
Para eu seguir, tendo a consciência que eu serei feliz. Plenamente feliz.


Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
(...)
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
(Corintios 13)

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Feliz 2014!

Há uns 3 dias eu estou ensaiando aqui pra vir fazer este post...
Lembrar do meu 2013 não uma coisa fácil. Mas tenho o costume de fazer a retrospectiva no blog... Então, vamos lá.

O que foi meu 2013?
Foi um ano que começou com muitos planos, um ano que eu comecei muito acima do meu peso, como eu nunca tinha alcançado antes. Apesar disso, estava muito feliz. Namorando, curtindo as férias...
Fui pra Curitiba, as aulas começaram e os planos da 'Loja' começaram a ser executados. Meu ex namorado no Guarujá trabalhando muito.
Na páscoa fomos viajar, minha família e uns amigos.
Voltamos...
E aí começou o inferno. Uma crise no meu namoro. Crise que culminou com uma mudança de vida para mim. Todos os últimos 25 posts deste blog de maneira direta ou indireta abordaram meus sentimentos diante da situação
Este foi o ano que eu mais sofri na vida, foi o ano que eu mais fui humilhada na vida, foi o ano que eu mais chorei. Foi o ano onde, pela primeira, eu sentei na secretaria da faculdade e perguntei o que precisava para trancar o curso. Foi o ano em que eu fiz terapia. Foi o ano em que eu sentei na sala de um grupo de ajuda anônimo e disse "Meu nome é Aline, e eu sou dependente de relacionamentos"... que eu rezei "Seguro minha mão na sua, e uno meu coração ao seu, para que possamos fazer juntas, o que eu não posso fazer sozinha".

Foi o ano que eu me vi sozinha! Sozinha do pior jeito que se pode ter... Com companhia ao meu redor, e me sentindo só! Foi o ano em que a tecnologia não foi suficiente para fazer com que a saudade fosse embora.
Mas, foi neste ano também que eu vi o quanto eu tenho amigos! E como eles não me conheciam antes. Vi meus amigos desesperados, por não saberem como agir diante da minha tristeza, do meu desespero. Eles achavam que isso nunca iria acontecer comigo.
Alguns choraram comigo, outros me deram o ombro para chorar. Outros me evitavam, e descobri que não eram tão bons amigos assim. E algumas pessoas me surpreenderam!
Fiz novos amigos! Aprendi a sair em Curitiba, fui a festas em casa de pessoas pouco conhecidas, vi a galera encher a cara... Curti um pouco do que chamam de faculdade. Em algumas noites dessas, eu ia pra calçada, e sentava no meio fio... olhava aquelas ruas vazias na madrugada e me perguntava: "Deus, o que quer de mim com isso?"... Me sentia tão fora daquele mundo. Sentia que aquela fase ja tinha passado...
Mas enfim, cheguei aqui.
Foi neste ano que eu recebi uma bolsa do CNPQ para realizar meu trabalho de IC, que foi indicado ao melhor trabalho da PUC. Foi neste ano que eu terminei meu TCC. Foi neste ano que eu me tornei chefe da liga acadêmica da qual eu participo. Foi neste ano que eu fiz meu primeiro parto.
E eu nunca fiz tantas viagens Curitiba-Santos/Santos-Curitiba quanto em 2013.

Apesar de todas as dores, neste ano eu cresci... Amadureci alguns anos em alguns meses.
Foram muitas lições aprendidas... e a mais importante foi: "Não importa o quanto você se esforce, as coisas podem não sair como você planejou".
E mais, estou tentando viver com menos planos.
Estou fazendo planos a curto prazo, para 6 meses no máximo. Assim tenho menor risco de frustração.
Aaah, mas e o futuro? O futuro...? A Deus pertence!
Tenho sonhos ainda. Mas aprendi que com muito menos posso ser feliz.


E para 2014? Estou vivendo um dia de cada vez... Fazendo uma escolha em cada manhã que eu acordo... E escolhendo ser feliz!
E seja o que Deus quiser!

FELIZ 2014!!! =D=D=D=D=D