sábado, 28 de janeiro de 2017

Até lá? Vou vivendo....

São 3h08 da manhã... E eu estou sem sono.
Talvez porque eu tomei 2 latinhas de red bull mais cedo - e admito que tenho diminuído bastante o consumo... Ou talvez porque minha cabeça não pare de trabalhar...
Uma vez me disseram "Aline, você pensa demais".
Pois é... As vezes tenho que admitir que sim.
Ultimamente tenho tentado controlar meu pensamentos... o fluxo de idéias, a intensidade e a frequência de pensamentos semelhantes... As vezes tenho sucesso, as vezes fracasso...

A vida anda meio maluca...
Em dois meses minha vida virou de cabeça pra baixo... E o barco que eu controlava tão bem, está hoje a deriva.
Acredito (e realmente espero) que a tempestade já passou... Mas o mar continua agitado, o vento não está cooperando muito...

A semana foi relativamente boa.
Semana passada viajei para Rio Preto (e me arrependi por não ter prestado o HBRP para residência) para a formatura de uma amiga. A viagem foi ÓTIMA, tanto o percurso como a formatura. Eu estava bem, em paz, completamente feliz e satisfeita.
Voltei, dei uns plantões, e peguei estrada novamente.
Fui para Curitiba terminar uns procedimentos médicos... Fui com a Karine, e a noite saímos nós duas e o Re. Uma palavra para noite? Épica! Não acredito que nesta vida terei outra noite como aquela rsrsrs Foi engraçada, inusitada e decididamente única.
Na manhã seguinte pegamos o caminho de volta.... E tudo foi bem,

Exercitei-me mal essa semana, e fico pensando também se não é por isso que eu estou dormindo mal.
Não.
Não é.
Esta semana voltei a vê-lo.
Ainda estou pensando se foi bom ou ruim.

O mais estranho de tudo é que EU PRECISO VER!!!! Simplesmente para enxergar a realidade.
Há quem não acredito em signos... Mas pega um libriano que não é romântico? Que não vive de expectativas? rsrsrsrs Libriano é o ser que vive no mundo dos sonhos e do otimismo. rsrsrs
E é por isso que eu preciso VER, entrar em contato com a realidade.

Duas coisas me fazem refletir: banhos longos e uma boa estrada.
Tive tempo nas duas coisas nos últimos dias...

Lembrei-me de pouco mais de 2 meses, quando chorei de raiva pois estavam me empurrando para uma situação desconfortável e indesejada para mim até o momento.
Me colocaram no laguinho do pesque-e-pague e mordi a isca.
E me colocaram MESMOOO! Logo eu que sempre me julguei pouco influenciável. Logo eu que bato o pé nas minhas decisões! Cedi! Ah, se arrependimento matasse!

Por carência, ou descuido, ou excesso de inocência... Cai num jogo. E acho que esta é a parte que mais dói. Esta é a parte que eu ainda não superei.
Como posso ter sido tão enganada. Como diz papai: "Aline, cadê seu feelling?" Eu banquei a estúpida, a bobinha... Isso é o que mais me machuca! Tenho raiva em lembrar dos momentos bons... 1º Por que admito que ele merece uma vaguinha na globo. Como pode ter sido tão fingido? (Um amigo meu diz que todos os homens fazem isso, e que eu ja to grandinha e deveria saber)... 2º Por que eu acreditei!!! Pqp! Eu acreditei em tudo... em cada palavra, em cada promessa. Como diz o Rê "Falar até papagaio fala'... e 3º... Eu me entreguei! Igual idiota. Virei uma marionete! E no fim tornei-me uma palhaça!!! Ele dizia A... e eu respondia com reciprocidade.
Lembro das primeiras "declarações"... Que me assustaram. Mas em poucos dias, eu pensei "Acho que da pra confiar, e também abri meu coração". BURRA! ANTA! ESTÚPIDA! Mereceu tudo isso pra largar de ser trouxa...
É assim que eu me sinto hoje.

Foram 16 dias chorando. Meu pai ouvindo tudo... repetidamente, e incansavelmente me dizia "Calma filha, vai passar". E passou.
Hoje não choro mais - ou pelo menos não todos os dias...
Tem aqueles dias, que meu sorriso ta no rosto, mas não alcança os olhos...
E vivo um dia de cada vez.
Vivi 27 anos sem isso... Tenho certeza que estas semanas foram únicas, e memoráveis, mas já consigo lidar com a idéia de que foram apenas algumas semanas e nada mais.
Que eu fui um jogo sim. Que fui só como qualquer outra...

Mas voltando a REALIDADE. Eu preciso dela. Preciso de proximidade, preciso ver... E voltar a ter aquela opinião de 2 meses atras... Que ele era uma pessoa DESINTERESSANTE, que não havia nele qualidades que eu admirava... Voltar a enxergar tudo que eu via. Sem romance, sem excessos, sem qualidades inventadas.
Uma coisa apaixonante? A música... Quem me conhece sabe o quanto eu amo música. E além de uma química incrível, foi por isso que eu me apaixonei... A música... Curtir um som. Fazer um som. Como eu tava sentindo falta disso em minha vida.
E isso é uma qualidade que não está enfeitiçada rsrsrs Ela é verdade.
O resto? O resto é tudo ilusão mesmo. Viagem grande da minha cabeça.
É tudo menor e pior do que eu imaginava.

Li algo esta semana que define muito bem o que eu sinto hoje:
"A saudade também envolve o que não vivemos. Nem sempre somos capazes da exata percepção de como os fatos aconteceram. Paira sobre a realidade a névoa do que imaginamos. E então recrutamos a memória já modificada pelo imaginado. Sofreríamos menos com o passado se não nos faltasse essa lucidez. Às vezes é assim. Sentimos falta do que gostaríamos que tivesse sido, e não do que realmente foi."

E hoje minha vida é assim... Vivo numa intermitência de momentos alegres, de paz, de felicidade e satisfação com o meu momento atual. E momentos de saudade... Saudade de todas as possibilidades e oportunidades perdidas, saudade de todas as coisas que eu ainda gostaria de ter falado, mas não disse, e não direi... Saudades de tudo que se passava em minha cabeça, que eu poderia proporcionar à ele, e fazer com que a vida dele fosse mais leve e mais doce, saudade de todas as surpresas que eu já tinha imaginado (não disse que libriano vive de expectativa?), saudade do que poderia ter sido e não foi.
As vezes me pego imaginando cenas de algo que nunca existiu... E me alegro só de imaginar.
Mas dai a realidade vem. Que aquela personificação de príncipe não existe, pelo menos não além dos meus pensamentos.

De uma coisa eu já sei...
Para sermos felizes é preciso termos certeza do que queremos... E andar com pessoas bem resolvidas.
A dúvida? Gera ansiedade, medo e sofrimento...

Um dia ele me disse que certa pessoa o fazia sofrer, e que ele não sabia o que fazer.
Ai lembro-me novamente do meu pai: "Como a gente complica a vida"...
Se algo lhe faz mal, pq vc o consome? Pq o deixa entrar em sua vida?
As pessoas só fazem conosco o que as permitimos fazer.

E olha, estou eu... na mesma situação.
E sabe desde quando ele me fez mal? DESDE O COMEÇO!
Parece que um furacão passou na minha vida... E destruiu tudo! Foi rápido, fugaz, e causou um estrago enorme.
Nunca foi amor. Sempre foi dor. SEMPRE. Foi a ansiedade, o medo,... Lembro-me muito bem da noite em que a ficha caiu. Uma noite de olhar distante... Naquela noite eu senti: Eu iria perdê-lo. E chorei... E abri meu coração... Porque o medo me consumiu. E vi a queda lá de cima...

Enfim... Sobrevivi à 100% dos piores dias da minha vida. E este decididamente não é um deles.
Acho que ele veio para me mostrar que eu ainda sou capaz de me apaixonar - Achei que isso não era mais possível...
Quem sabe um dia eu encotnre alguém que não "esteja em dúvida - nem consigo e nem com os outros"... Neste dia quem sabe, valha a pena me entregar novamente...
Até la? Vou vivendo...


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Sobre as alegrias que as mudanças trazem

Bom diiia gente linda!!! =D=D=D

Ainda não tive tempo de arrumar o design do blog - e acho que vou demorar pra conseguir arrumar tempo pra isso rsrsrs
Mas enfim, cá estou novamente para compartilhar minhas idéias!

Ter voltado ao blog me faz um bem enorme...
Voltei a estar com a cabeça em ordem rsrsrs

Hoje estava pensando em como os problemas, as frustrações e os obstáculos, por nos tirarem de nossa zona de conforto, nos trazem experiências interessantes.

Antes de tudo: a música que está tocando ao publicar a postagem...
Daft Punk - Instant Crush
Escolhi esta hoje porque essa música apareceu na minha vida em vários momentos, e voltou a aparecer neste. E eu adoro esse som...

Enfim,
eu não o tipo de mulher que fica solteira por muito tempo. Motivos? Há controvérsias... Alguns dizem que eu sou carente, outros dizem que eu não sei ficar sozinha. O que eu acho? Que eu não curto pegação! rsrsrs Gosto de conhecer bem, de conversar, descobrir, somar, cuidar... Ter alguém onde possa encontrar - e dar - segurança. Maas, estou assim há uns 4 meses mais ou menos (Meus períodos de solteirisse nunca duraram mais de 1 ano ahahaha)
Desde que terminei com meu ex não conheci muitas pessoas... Mas tenho adorado esta fase. rsrsrs
É diferente agora.
Da ultima vez que eu fiquei solteira, estava na faculdade... Sem dependência alguma. Dessa vez é divertidamente mais gostoso... E é tão bom!

Sabe o que eu mais gosto de tudo isso? É que já conheci gente de tudo que é jeito: felizes, depressivos, drogados, sóbrios, formados, analfabetos, bonitos, feios, gordos, magros, ateus, agnósticos, religiosos... E assim, quem me conhece sabe que eu falo até perder a voz. Mas o que eu mais gosto de conhecer tanta gente, é o quanto TODO MUNDO tem algo a ensinar...
Se eu tivesse anotado um pouco de cada conversa que eu pude ter com cada pessoa, poderia fazer um livrinho de anotações de como ter uma vida boa... Conheci algumas pessoas babacas também, rsrsrs mas quem disse que eles também não me ensinaram? Ensinaram-me o que eu não devo ser, o que eu não devo fazer... Ou seja, tudo é aprendizado.

To adorando essa nova fase... Eu adoro gente!! É tão bom poder ouvir histórias de pessoas que viveram uma vida muito além da sua, que moraram em outros lugares, e que obtiveram sucesso em sua vida de um modo completamente diferente do que você aprendeu... E são felizes assim.
E tão bom ver que você é minúsculo diante deste mundão. Que hoje você pode ter tudo, e amanhã ter nada... E que "tudo" ou "nada" é simplesmente uma questão de ponto de vista.

E sabe onde toda essa descoberta começou? Com uma perda... Com uma decepção.
Minha mãe diz que depois de toda tempestade vem a calmaria...
Pois é, o céu está limpando... E há um Sol lindo querendo nascer...
E neste dia de Sol eu consigo enxergar muitas possibilidades. E são lindas!!!

Já são 1h57 da manhã, hoje o dia rendeu muito, e eu estou cansada... Mas minha mente está devagar, consigo assistir televisão - e me concentrar nela. Consigo falar com os meus amigos - e me concentrar neles... Montei minha agenda, estipulei minhas metas... Tudo vai bem graças a Deus!

As pessoas só fazem conosco o que permitimos que elas façam... E eu permiti que minha vida fosse virada do avesso por causa de alguém. Quem nunca? Mesmo aos 27 anos eu fui inocente demais...
Ouvi uma frase que dizia algo assim: "Não quero alguém que me complete, pois eu já sou inteira. Quero alguém que me transborde!"
E este é meu mantra hoje.
Algumas vezes nos anulamos, ou nos retraímos para que alguém ocupe uma lacuna em nossas vidas... Mas isso está errado... Quem vier deve vir para adornar, para enfeitar, colorir, somar... Para que se um dia se for, nada falte!
Enquanto não encontro, conheço pessoas... E se valer a pena - e isso é algo que eu vou avaliar melhor agora - por que não?

Por fim... Uma outra pessoa me disse algo que me deixou pensativa o dia inteiro: Nós devemos entrar na vida das pessoas para o fazer o bem. Somente o bem... Não importa o tipo de relação.
Achei incrível isso... Pois é isso que eu sempre procuro fazer! O bem, ajudar, somar... Em qual relação que você quer fazer o bem que você mente? Que você engana? Que você maltrata? Que você ignora? Que você despreza? Que você humilha?
Entende? Faz todo sentido!!!

A vida está boa...
Eu tenho tudo que eu preciso hoje... E a vontade de Deus está se cumprindo.
Como sempre!

Vou dormir agora...
Até breve galera! =D


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Feliz Ano Novo!

Depois de tantos anos de ausência, resolvi voltar..
Acredito que este sempre será meu refúgio...

Não li a última postagem do blog pra poder saber onde eu parei. Mas o que posso garantir é que de 2014 pra cá, eu sou outra pessoa...
Sem perder a minha essência (como verão nos próximos capítulos). Continuo ouvindo músicas acústicas, Taylor Swift e The Killers rsrsrsrs e fazendo grandes tempestades em copo d'água - Ah, mas o que seria da vida sem um pouco de drama não é?

Formei-me, emagreci 38 kg há 1 ano e meio, já fiz alguns procedimentos estéticos rsrsrs E se eu pudesse pontuar a maior mudança em minha vida, seria essa: minha auto-estima! Continuo me achando gorda rsrsrs mas pelo menos entro no 38 agora. rsrsrs E não tenho mais problemas quanto a me sentir feia, rejeitada, etc. Gosto de mim assim...

Pra começarmos mantendo o costume a música que vai tocar hoje durante essa postagem é Linger (The Cranberries). Escolhi esta música porque ela descreve simplesmente o que eu estou passando agora...


If you, if you could return
Don't let it burn, don't let it fade
I'm sure I'm not being rude
But it's just your attitude
It's tearing me apart
It's ruining everything
And I swore I swore I would be true
And honey so did you
So why were you holding her hand?
Is that the way we stand?
Were you lying all the time?
Was it just a game to you? 

But I'm in so deep
You know I'm such a fool for you
You got me wrapped around your finger
Do you have to let it linger?
Do you have to, do you have to
do you have to let it linger? 

Oh, I thought the world of you
I thought nothing could go wrong
But I was wrong
I was wrong
If you, if you could get by
Trying not to lie
Things wouldn't be so confused
And I wouldn't feel so used
But you always really knew
I just wanna be with you

And I'm in so deep
You know I'm such a fool for you
You got me wrapped around your finger
Do you have to let it linger?
Do you have to. do you have to
do you have to let it linger?


Bom, iniciei este blog há anos atrás na esperança de que escrevendo eu pudesse expressar meu sentimentos e enfim organizá-los - e eterniza-los. Sempre deu certo (com um certo grau de polêmica - por que não?)
Sempre usei este local pra expressar minha humanidade, meus erros, minhas fraquezas... E também para mostrar que não importa o quão fundo no poço você está, sempre existe esperança.

Vamos aos fatos. Por que eu decidi escrever aqui?
Obviamente porque estou num grande período de crise... Porque mais uma vez encontro-me em desequilíbrio entre a minha razão e minhas emoções (quem nunca?)

Não citarei nomes (como antigamente rsrsr)... Vamos a mais um conto do diário da Paixão

Trabalho num hospital aqui perto de casa, um lugar que eu amo, e foi muito importante para o ínicio da minha carreira. Sempre procurei ser o mais profissional possível la. Sempre evitei qualquer vínculo extra-hospitalar.
Em setembro separe-me do Rê (um cara maravilhoso que eu tive a oportunidade de namorar, mas não dava mais certo, então nos tornamos amigos), desde então estava 100% solteira e 100% sozinha e 100% feliz assim. Focada na minha residência, na minha liberdade e sem carência...
Até que um dos colegas de trabalho começou dar sinais de interesse em me conhecer fora do hospital.
Algumas pessoas vieram falar comigo, insistir pra que eu "desse uma chance"... que era uma pessoa boa, correta... Fiquei nervosa com a situação, briguei com quem veio falar comigo, chorei de raiva até! Pois eu já tinha ouvido falar sobre a fama dele, e eu não queria aquilo pra minha vida. Mas armaram um cerco e eu não tive como fugir.
E acabei cedendo à um bendito almoço fora do hospital.
QUE ERRO! Saí com uma pessoa que nunca chamou minha atenção, que não parecia agradável e tinha um modo de vida completamente diferente de mim.

Pois é, mas relacionar-se na vida adulta é tão diferente, é tão pouco inocente, que defino hoje como frustante.
Continuando...
Entrei no jogo. Mordi a isca. MORDI A ISCA!!! E era apenas isso que ele queria... A minha mordida. Apenas queria me conquistar... Pra que eu fosse mais uma da lista.
Em pouco mais de um mês conheci um lado do ser humano que nunca tinha conhecido antes.
Achei que ja tinha sido enganada e iludida ao máximo... Mas nunca subestime a inconsequência dos atos humanos.

Vivi, durante menos de 3 semanas o conto de fadas mais lindo que eu imaginei viver. Tudo era perfeito. A voz, o cheiro, a pele... Ah, a pele! O toque, o beijo, as conversas, as músicas... Perfeito como eu nunca imaginei que pudesse viver. Perfeito como eu nunca achei que merecesse. Perfeito... tão perfeito... que não era real!
Durante as três semanas ouvi palavras tão lindas, promessas tão intensas... E voei... Voei alto, perdi-me em amor... perdi-me como uma adolescente, inexperiente, inocente, que acreditava ter encontrado, entre 7 bilhões de pessoas, aquela que poderia fazer e ser feliz junto! Em 3 semanas me vi fazendo planos, viagens... Me vi fazendo parte dele e ele parte de mim. Em 3 semanas deixei que o amor dominasse a minha mente e a minha vida... E me entreguei. Sem medo... Pois tudo parecia tão recíproco. Nossos momentos eram uma explosão de todos os sentimentos bons que poderia existir...
Tornei-me irreconhecível! Meus amigos estranharam, alguns até brincavam que alguém conseguiu derreter meu coração enfim....

Enfim.... Era só um sonho.
E acho que até o momento eu ainda estou tentando voltar pra ele. Eu ainda não aceitei que acabou. E continuar está muito difícil.

Como pode uma pessoa que te faz tantas promessas, que te tocou de um jeito tão diferente, de repente, simplesmente, sumir? E toda aquela insistência da conquista? E todas as noites? E todos os momentos? Não importam mais? ... Não, a realidade é que nunca importaram.

Desde o dia 30 do mês passado eu estou estática! Meu quarto uma bagunça, meu carro com coisas acumuladas... Há 18 dias eu estou sem reagir... Sem forças. Não acreditando nisso...

Sabe por quê? Pois eu não pedi um amor. Eu ja tinha sofrido o suficiente nesta vida... E não queria mais sofrer novamente. Eu não pedi as promessas, eu não pedi o carinho, não pedi a atenção...
Mas parece que eu fui uma tarefa a ser cumprida. Uma meta a alcançar. E ele alcançou. E então seguiu para a próxima.
E foram tantas mentiras... tantas.

Se eu fosse contar como era tudo lindo...
Não sei em qual momento eu me perdi. Mas eu o avisei que ele estava me levando alto demais... E eu não queria cair.

Hoje estou aqui... desabafando neste meu antigo diário, assim como eu fazia quando tinha 18 anos, e assim como eu fazia nos meus diários quando tinha 10.
Quem sabe um dia meus filhos leiam isso aqui... e saibam que a mãe deles amou. E amou muito!

Hoje, estou assim... Cheia de feridas abertas, doloridas, que as pessoas tocam o tempo inteiro.
Engraçado foi eu ter saído sozinha na cidade e terem me perguntado "Cadê o homem?"... Como se ele tivesse sido homem comigo!

Já se passaram tantas coisas na minha cabeça, eu já não sou mais criança. Conheci uma pessoa que me fez acreditar novamente no amor.. E agora me faz desacreditar na bondade das pessoas... Fez-me desacreditar na honestidade, na lealdade... e fez desacreditar no amor.

Eu só posso rezar... todas as noites, todos os dias, o tempo todo... Para ter forças. Pra resistir.
Pra entender qual o propósito de Deus com isso. Eu não costumo fazer isso com as pessoas... Ainda não consigo entender os porquês...
Somos descartáveis.
Como diz um amigo meu: Você é pó, você é nada! Todos são substituíveis.

E é assim... A minha vida não é um mar de rosas.
Todos deixam marcas em nós.
ELE MESMO me disse que tinhamos que tomar cuidados com as nossas atitudes, pois poderíamos mudar a vida das pessoas para sempre... Pois é. São 18 dias tentando sair dessa...
Honestamente, hoje eu não tenho respostas...

E meus sonhos... é, eles costumam acabar antes do amanhecer...