sábado, 28 de janeiro de 2017

Até lá? Vou vivendo....

São 3h08 da manhã... E eu estou sem sono.
Talvez porque eu tomei 2 latinhas de red bull mais cedo - e admito que tenho diminuído bastante o consumo... Ou talvez porque minha cabeça não pare de trabalhar...
Uma vez me disseram "Aline, você pensa demais".
Pois é... As vezes tenho que admitir que sim.
Ultimamente tenho tentado controlar meu pensamentos... o fluxo de idéias, a intensidade e a frequência de pensamentos semelhantes... As vezes tenho sucesso, as vezes fracasso...

A vida anda meio maluca...
Em dois meses minha vida virou de cabeça pra baixo... E o barco que eu controlava tão bem, está hoje a deriva.
Acredito (e realmente espero) que a tempestade já passou... Mas o mar continua agitado, o vento não está cooperando muito...

A semana foi relativamente boa.
Semana passada viajei para Rio Preto (e me arrependi por não ter prestado o HBRP para residência) para a formatura de uma amiga. A viagem foi ÓTIMA, tanto o percurso como a formatura. Eu estava bem, em paz, completamente feliz e satisfeita.
Voltei, dei uns plantões, e peguei estrada novamente.
Fui para Curitiba terminar uns procedimentos médicos... Fui com a Karine, e a noite saímos nós duas e o Re. Uma palavra para noite? Épica! Não acredito que nesta vida terei outra noite como aquela rsrsrs Foi engraçada, inusitada e decididamente única.
Na manhã seguinte pegamos o caminho de volta.... E tudo foi bem,

Exercitei-me mal essa semana, e fico pensando também se não é por isso que eu estou dormindo mal.
Não.
Não é.
Esta semana voltei a vê-lo.
Ainda estou pensando se foi bom ou ruim.

O mais estranho de tudo é que EU PRECISO VER!!!! Simplesmente para enxergar a realidade.
Há quem não acredito em signos... Mas pega um libriano que não é romântico? Que não vive de expectativas? rsrsrsrs Libriano é o ser que vive no mundo dos sonhos e do otimismo. rsrsrs
E é por isso que eu preciso VER, entrar em contato com a realidade.

Duas coisas me fazem refletir: banhos longos e uma boa estrada.
Tive tempo nas duas coisas nos últimos dias...

Lembrei-me de pouco mais de 2 meses, quando chorei de raiva pois estavam me empurrando para uma situação desconfortável e indesejada para mim até o momento.
Me colocaram no laguinho do pesque-e-pague e mordi a isca.
E me colocaram MESMOOO! Logo eu que sempre me julguei pouco influenciável. Logo eu que bato o pé nas minhas decisões! Cedi! Ah, se arrependimento matasse!

Por carência, ou descuido, ou excesso de inocência... Cai num jogo. E acho que esta é a parte que mais dói. Esta é a parte que eu ainda não superei.
Como posso ter sido tão enganada. Como diz papai: "Aline, cadê seu feelling?" Eu banquei a estúpida, a bobinha... Isso é o que mais me machuca! Tenho raiva em lembrar dos momentos bons... 1º Por que admito que ele merece uma vaguinha na globo. Como pode ter sido tão fingido? (Um amigo meu diz que todos os homens fazem isso, e que eu ja to grandinha e deveria saber)... 2º Por que eu acreditei!!! Pqp! Eu acreditei em tudo... em cada palavra, em cada promessa. Como diz o Rê "Falar até papagaio fala'... e 3º... Eu me entreguei! Igual idiota. Virei uma marionete! E no fim tornei-me uma palhaça!!! Ele dizia A... e eu respondia com reciprocidade.
Lembro das primeiras "declarações"... Que me assustaram. Mas em poucos dias, eu pensei "Acho que da pra confiar, e também abri meu coração". BURRA! ANTA! ESTÚPIDA! Mereceu tudo isso pra largar de ser trouxa...
É assim que eu me sinto hoje.

Foram 16 dias chorando. Meu pai ouvindo tudo... repetidamente, e incansavelmente me dizia "Calma filha, vai passar". E passou.
Hoje não choro mais - ou pelo menos não todos os dias...
Tem aqueles dias, que meu sorriso ta no rosto, mas não alcança os olhos...
E vivo um dia de cada vez.
Vivi 27 anos sem isso... Tenho certeza que estas semanas foram únicas, e memoráveis, mas já consigo lidar com a idéia de que foram apenas algumas semanas e nada mais.
Que eu fui um jogo sim. Que fui só como qualquer outra...

Mas voltando a REALIDADE. Eu preciso dela. Preciso de proximidade, preciso ver... E voltar a ter aquela opinião de 2 meses atras... Que ele era uma pessoa DESINTERESSANTE, que não havia nele qualidades que eu admirava... Voltar a enxergar tudo que eu via. Sem romance, sem excessos, sem qualidades inventadas.
Uma coisa apaixonante? A música... Quem me conhece sabe o quanto eu amo música. E além de uma química incrível, foi por isso que eu me apaixonei... A música... Curtir um som. Fazer um som. Como eu tava sentindo falta disso em minha vida.
E isso é uma qualidade que não está enfeitiçada rsrsrs Ela é verdade.
O resto? O resto é tudo ilusão mesmo. Viagem grande da minha cabeça.
É tudo menor e pior do que eu imaginava.

Li algo esta semana que define muito bem o que eu sinto hoje:
"A saudade também envolve o que não vivemos. Nem sempre somos capazes da exata percepção de como os fatos aconteceram. Paira sobre a realidade a névoa do que imaginamos. E então recrutamos a memória já modificada pelo imaginado. Sofreríamos menos com o passado se não nos faltasse essa lucidez. Às vezes é assim. Sentimos falta do que gostaríamos que tivesse sido, e não do que realmente foi."

E hoje minha vida é assim... Vivo numa intermitência de momentos alegres, de paz, de felicidade e satisfação com o meu momento atual. E momentos de saudade... Saudade de todas as possibilidades e oportunidades perdidas, saudade de todas as coisas que eu ainda gostaria de ter falado, mas não disse, e não direi... Saudades de tudo que se passava em minha cabeça, que eu poderia proporcionar à ele, e fazer com que a vida dele fosse mais leve e mais doce, saudade de todas as surpresas que eu já tinha imaginado (não disse que libriano vive de expectativa?), saudade do que poderia ter sido e não foi.
As vezes me pego imaginando cenas de algo que nunca existiu... E me alegro só de imaginar.
Mas dai a realidade vem. Que aquela personificação de príncipe não existe, pelo menos não além dos meus pensamentos.

De uma coisa eu já sei...
Para sermos felizes é preciso termos certeza do que queremos... E andar com pessoas bem resolvidas.
A dúvida? Gera ansiedade, medo e sofrimento...

Um dia ele me disse que certa pessoa o fazia sofrer, e que ele não sabia o que fazer.
Ai lembro-me novamente do meu pai: "Como a gente complica a vida"...
Se algo lhe faz mal, pq vc o consome? Pq o deixa entrar em sua vida?
As pessoas só fazem conosco o que as permitimos fazer.

E olha, estou eu... na mesma situação.
E sabe desde quando ele me fez mal? DESDE O COMEÇO!
Parece que um furacão passou na minha vida... E destruiu tudo! Foi rápido, fugaz, e causou um estrago enorme.
Nunca foi amor. Sempre foi dor. SEMPRE. Foi a ansiedade, o medo,... Lembro-me muito bem da noite em que a ficha caiu. Uma noite de olhar distante... Naquela noite eu senti: Eu iria perdê-lo. E chorei... E abri meu coração... Porque o medo me consumiu. E vi a queda lá de cima...

Enfim... Sobrevivi à 100% dos piores dias da minha vida. E este decididamente não é um deles.
Acho que ele veio para me mostrar que eu ainda sou capaz de me apaixonar - Achei que isso não era mais possível...
Quem sabe um dia eu encotnre alguém que não "esteja em dúvida - nem consigo e nem com os outros"... Neste dia quem sabe, valha a pena me entregar novamente...
Até la? Vou vivendo...


Nenhum comentário: